CPI da Covid

Brasil Dominguetti diz que foi induzido em erro sobre áudio de Miranda

Dominguetti diz que foi induzido em erro sobre áudio de Miranda

Vendedor afirmou no início de seu depoimento à CPI que Luis Miranda teria procurado sua empresa para compra de vacinas

  • Brasil | Gabriel Croquer, do R7

Empresário teve apoio do presidente da CPI para não ser preso por falso testemunho

Empresário teve apoio do presidente da CPI para não ser preso por falso testemunho

Adriano Machado/Reuters - 01.07.2021

O representante comercial da empresa Davati Medical Supply, Luiz Paulo Dominguetti Pereira, voltou atrás depois de afirmar à CPI da Covid nesta quinta-feira (1º) que o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) procurou sua empresa com o objetivo de negociar a compra de vacinas da AstraZeneca/Oxford. 

Ele admitiu o erro ao ser questionado pelo senador Alessandro Vieira (Rede-ES). O parlamentar anunciou que o deputado Luis Miranda havia registrado em cartório suas conversas sobre compra de insumos médicos, para rebater a sugestão de Dominguetti de que ele poderia estar envolvido em compras irregulares de vacinas. 

"Isso [ao ser perguntado se foi induzido em erro]. Deixa eu falar uma coisa para Vossa Excelência, a minha interpretação da mensagem que foi recebida é assim, ela não muda a contextualização do áudio, a prova, mas a perícia vai provar que eu recebi o áudio do Cristiano e a imagem", disse o empresário, atribuindo a interpretação à forma que recebeu as mensagens de seu colega na Davati, o representante Cristiano Alberto Carvalho . 

Vieira, porém, não aceitou a argumentação e pediu pela prisão do empresário ao presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), por falso testemunho de Dominguetti. O pedido foi negado por Aziz. 

"Eu não tenho nenhuma intenção de fazê-lo. Eu imagino suas filhas, seu filho, sua esposa vivendo esse momento. Aquilo que a gente não quer para gente, a gente não deseja para os outros", rebateu o presidente.

Ao voltar a ser questionado pela prisão de Dominguetti, Aziz afirmou que não via motivos para a medida e apoiou o depoente. "Ele [Dominguetti] foi induzido pelo Cristiano, que mandou um áudio cortado, editado, que ele exibiu aqui", comentou. 

Últimas