Doria critica polarização: "boa política se faz unindo as pessoas"

O tucano assumiu parcela de culpa no cenário político brasileiro mas afirmou: "Tivemos a humildade de corrigir. Os extremados não reconhecem os erros"

Doria em evento no Rio de Janeiro, que apresentou o "novo PSDB"

Doria em evento no Rio de Janeiro, que apresentou o "novo PSDB"

SAULO ANGELO/ ESTADÃO CONTEÚDO

Na tentativa de se colocar como alguém capaz de quebrar a polarização política no País, o governador de São Paulo João Doria (PSDB) disse na tarde deste sábado (28), que "a boa política se faz unindo as pessoas, não separando". 

Leia mais: Redução da letalidade policial "não é obrigatoriedade", diz Doria

Em evento para apresentar o "novo PSDB" no Rio de Janeiro, Doria fez um discurso com contornos nacionais e de claro posicionamento para a disputa presidencial de 2022. Em alguns momentos, citava os nomes da pré-candidata do partido à Prefeitura do Rio no ano que vem, Mariana Ribas, e de outras figuras locais presentes ao evento.

O ex-prefeito Eduardo Paes (DEM), que deve compor chapa com os tucanos na cidade, foi atração surpresa do encontro e recebeu elogios dos quadros do PSDB. Doria o chamou de "extraordinário prefeito".

Toda a fala de Doria girava em torno de acenos a uma união do País contra o que considera os extremos. "Os extremos não constroem, os extremos destroem", disse. "Nós erramos, sim, mas tivemos a humildade de corrigir. Os extremados não reconhecem os erros." 

Leia mais: PSL aponta Joice como candidata à Prefeitura de São Paulo em 2020

Além de lideranças locais, o primeiro encontro do "novo PSDB" fora de São Paulo teve a presença do prefeito de São Paulo, Bruno Covas, e do presidente nacional do partido, Bruno Araújo, entre outros quadros. A sigla é comandada no Rio pelo empresário Paulo Marinho, importante articulador da campanha presidencial de Jair Bolsonaro, de quem virou dissidente.

Outro ex-bolsonarista que participou do encontro foi o ex-ministro Gustavo Bebianno, que também pregou união contra o que chama de extremos. "O pêndulo estava todo à esquerda, agora está todo à direita. Acho que ele precisa parar no centro, olhar para o Brasil", apontou o ex-ministro.

Doria também disse que defende o meio ambiente e valoriza a Cultura. Mariana Ribas é gestora da área cultural e, segundo o governador, representa tudo o que o novo PSDB quer pregar.