CPI da Covid

Brasil Elcio Franco diz que defesa da supernotificação da covid é leviana

Elcio Franco diz que defesa da supernotificação da covid é leviana

Ex-secretário executivo porém afirmou que "existe sim" risco de má contabilização dos dados, repetindo argumento de Bolsonaro

  • Brasil | Gabriel Croquer, do R7

Elcio Franco citou lei complementar que justificaria possível subnotificação

Elcio Franco citou lei complementar que justificaria possível subnotificação

Marcos Oliveira/Agência Senado - 09.06.2021

O ex-secretário executivo do Ministério da Saúde, coronel Antônio Elcio Franco, afirmou nesta quarta-feira (9), à CPI da Covid, que considera leviana a defesa da possível supernotificação de mortes da covid-19 no Brasil.

Ele deu a opinião ao ser perguntado pelo senador Fabiano Contarato (Rede-ES) se acreditava na tese do modo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que colocou em dúvida nesta segunda-feira (7) quase metade das mais de 470 mil mortes por covid com base em relatório preliminar de auditor do TCU (Tribunal de Contas da União). 

"Eu não posso afirmar isso. Seria leviano de minha parte", respondeu Elcio Franco. Ele, porém, considerou também que "existe sim o risco de ter havido supernotificação", repetindo o argumento do presidente ao falar de lei complementar que reserva mais recursos do governo federal a estados com maior número de casos confirmados do novo coronavírus.

Depois de ser desmentido pelo TCU, Bolsonaro voltou atrás e admitiu o erro um dia depois. O tribunal já afastou o auditor responsável pelo relatório e abriu investigação do caso

O relatório do TCU também é investigado pela própria CPI, que já tem requerimento para a convocação do auditor Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques, que criou o estudo. O vice-presidente da CPI, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), já afirmou que o sigilo dele "inevitavelmente" será quebrado

Últimas