Brasil Era da Inveja: por que o sucesso de uns atrai ataques de outros?

Era da Inveja: por que o sucesso de uns atrai ataques de outros?

Pessoas bem-sucedidas enfrentam raiva e agressividade apenas por serem boas no que fazem. É o "ódio do bom, por ser bom"

  • Brasil | Do R7

A escritora Ayn Rand

A escritora Ayn Rand

Reprodução/Wikimedia Foundation/Domínio público

Para a escritora judaico-russa Ayn Rand (1905-1982), conhecida por desenvolver a corrente filosófica do Objetivismo, o ataque às habilidades de alguém era algo inconcebível. Em 1979, Rand concedeu uma entrevista a Tom Snyder – apresentador americano famoso por seus talk shows – e classificou aquela época como “A Era da Inveja”.

Passados 43 anos, além de essa espécie de inveja coletiva permanecer viva, as coisas parecem estar ainda piores. Assim como naquela época, o alvo atualmente está nas costas das pessoas que, de alguma maneira, alcançaram sucesso ou alguma posição de destaque. É o que Rand classificou como “ódio do bom, por ser bom”.

No ar, a filósofa revelou parte de sua conversa de bastidores com Snyder, em que ele afirmou ter sido atacado por seu sucesso. “Isso é o que eu considero de mais imoral na Terra, atacar um homem, não por suas falhas, mas por suas virtudes. Porque ser bem-sucedido em qualquer área da atividade racional é uma grande virtude”, disse Rand.

Partindo do princípio de que todas as pessoas têm talentos e falhas, virtudes e fracassos, cada um de nós pode colocar as afirmações da escritora à prova e testemunhar que, se por um lado, não somos tão atacados por nossas falhas – talvez por uma questão de educação ou um certo grau de moral – por outro, não há o mesmo cuidado quando se trata de nossas virtudes.

Quando alguém se dedicando com esmero a algo bom, como o trabalho ou os estudos, será muito mais criticado do que quando faz as mesmas coisas de forma desleixada. Quem chega cedo e sai tarde do trabalho é “puxa-saco” e “caixas”, mas quem enrola e engana é “esperto”.

Desde as mínimas coisas, vemos o quanto é comum os ataques e o ódio por nossos sucessos, como afirmou Ayn Rand: “as pessoas o atacarão por exercitar suas habilidades, pelo trabalho duro, pela consistência, pela ambição e elas querem que você se sinta culpado por isso”. Por outro lado, as mesmas pessoas que demonizam quem alcança o sucesso têm um alto nível de tolerância com os mentirosos, os trapaceiros, os enganadores, sempre minimizando e relativizando suas más obras.

Qualquer semelhança com os dias de hoje não é mera coincidência. Mais do que nunca as palavras de Rand se confirmam: “todo mundo que é fraco subitamente adquire algum tipo de valor, mas qualquer um que faz sucesso tem de ser atacado pelo seu sucesso”. Não é de hoje que os valores estão trocados, mas nos dias de hoje, certamente essa inversão está ainda mais enraizada.

Devemos lutar para manter nossos valores e não permitirmos que essa onda de tolerância hipócrita nos afete. Por mais que esse tipo de coisa seja comum, não podemos achar que é normal. Não é tolerável normalizar o mal, por mais comum que ele esteja.

Últimas