CPI da Covid

Brasil Escola criada por Wizard diz ter posição 'diferente' da do ex-dono

Escola criada por Wizard diz ter posição 'diferente' da do ex-dono

Multinacional britânica Pearson diz que é dona do curso de idiomas Wizard desde 2014 e afirmou em nota defender a ciência

  • Brasil | Do R7

Site da escola Wizard traz comunicado

Site da escola Wizard traz comunicado

Reprodução 30.06.2021

A escola de idiomas Wizard by Pearson divulgou nota nesta quarta-feira (30) afirmando que tem posicionamento "muito diferente" do de seu fundador, o empresário Carlos Wizard, que participa da sessão da CPI da Covid.

Wizard é investigado por supostamente participar de um 'gabinete paralelo' que seria responsável pela tomada de decisões na pandemia e pelo aconselhamento ao presidente Jair Bolsonaro. O grupo teria agido em defesa do uso de remédios como a cloroquina - ineficaz contra a covid-19, conforme entendimento de grande parte da comunidade científica internacional.

Vídeos em que Wizard defendeu a adoção da cloroquina foram exibidos na sessão da CPI desta quarta. Ele não respondeu às perguntas dos senadores.

A Wizard by Pearson divulgou nota com o título: "A Wizard pertence a Pearson desde 2014 e nosso posicionamento é muito diferente de Carlos Martins. Venha ver!"

No texto, a instituição afirma que "desde 2014, a Wizard by Pearson faz parte da maior empresa de aprendizagem do mundo, a Pearson. Naquele ano, a multinacional britânica adquiriu a totalidade dos direitos e do controle sobre a marca, passando a ser sua única proprietária e encerrando por completo qualquer vínculo entre a rede de escolas de idiomas e o seu ex-dono, o empresário Carlos Martins".

A escola afirma que é a favor da vida, da saúde e da ciência. "Desde o início da pandemia, orientamos nossos franqueados e colaboradores sobre todas as medidas necessárias para respeitar a legislação e os protocolos sanitários vigentes, sempre buscando garantir a segurança de nossos professores, alunos, colaboradores e parceiros."

A Wizard by Pearson finalizou afirmando: "Cuidado com a desinformação e propagação de fake news!"

Últimas