Brasil Estúdio News de sábado discute rumos da economia criativa

Estúdio News de sábado discute rumos da economia criativa

Na foto, Isabel de Paula, Gustavo Toledo e Fabricio Noronha

Na foto, Isabel de Paula, Gustavo Toledo e Fabricio Noronha

Divulgação

A economia criativa representa cerca de 3% do PIB mundial e está entre as mais afetadas pela pandemia. O setor cultural por meio do digital se reinventou, porém, a exclusão digital acabou sendo um fator agravante para que diversas atividades continuassem.

“Aqui no Brasil, temos um contingente enorme de empreendedores criativos, de empreendimentos e fazedores da cultura que não tem uma banda larga, as ferramentas, os aplicativos, para poder fazer a sua arte, o seu trabalho ser comercializado e difundido no ambiente digital, não é uma receita de bolo para todo mundo, as políticas públicas têm que contemplar essas diferentes frentes, esses diferentes públicos, ressalta a Coordenadora de Cultura da Unesco no Brasil, Isabel de Paula.

Isabel destaca a preocupação da Unesco quanto ao fato da comunidade estar distante do seu ambiente cultural, perdendo memória, diminuindo a coesão social e o diálogo intercultural, o que segundo ela, facilita uma sociedade mais pacífica, mais dialógica e mais humana, causando prejuízos não são só para os produtores de cultura, mas para toda sociedade.

O secretário da cultura do Espírito Santo e presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura, Fabricio Noronha, diz que no pós-pandemia há uma expectativa mais otimista para eventos ao ar livre o setor ter um aquecimento efetivo, obviamente seguindo protocolos por um tempo, mas que não acredita que isso aconteça sem uma política pública efetiva, sem investimento e um desenho para essa retomada.

Noronha afirma que para a recuperação é preciso suporte como o da Lei Aldir Blanc.

“Muitas dessas ações que temos visto nas nossas timelines foram financiadas por essa lei que recuperou metade dos empregos perdidos durante a pandemia, segundo dados do observatório do Itaú Cultural, metade dos 870 mil postos perdidos do setor cultural. Essa lei nos traz como lição e experiência, um ensaio de política pública a partir desse arranjo federativo e descentralização de recursos e conseguimos sentir a força que isso tem. ”

O Estúdio News vai ao ar aos sábados, às 22h15. A Record News é sintonizada pelos canais de TV fechada 55 Vivo TV, 78 Net, 32 Oi TV, 14 Claro, 19 Sky e 134 GVT, além do canal 42.1 em São Paulo e demais canais da TV aberta em todo o Brasil.

Últimas