Brasil Exploração racional e sustentável é prioridade, diz Bolsonaro na ONU

Exploração racional e sustentável é prioridade, diz Bolsonaro na ONU

Presidente discursou na Cúpula da Biodiversidade da Organização das Nações Unidas, nesta quarta-feira (30), por meio de videoconferência

  • Brasil | Do R7

Bolsonaro gravou vídeo sobre meio ambiente

Bolsonaro gravou vídeo sobre meio ambiente

Alan Santos/PR 28/09/2020

O presidente Jair Bolsonaro disse que são prioridades do governo federal a proteção e a gestão soberana dos recursos naturais do país, em seu discurso nesta quarta-feira (30), na Cúpula da Biodiversidade da ONU (Organização das Nações Unidas). 

Leia também: Bolsonaro: Declaração de Biden sobre Amazônia foi 'desastrosa'

Por videoconferência, em vídeo gravado na terça-feira (29), o presidente afirmou que o governo brasileiro está ciente do enorme potencial da bioeconomia. Ele também disse que vai dar continuidade a operações para intensificar combate aos crimes ambientais e responsabilizou ONGs.

"A exploração racional e sustentável dos incomensuráveis recursos presentes no território brasileiro é uma prioridade nossa, assim damos atenção especial às discussões da Cúpula da Biodiversidade, que poderão determinar o futuro desses recursos e definir os novos contornos da economia no século 21", afirmou Bolsonaro.

Segundo ele, é importante que haja um consenso para combinar sustentabilidade com desenvolvimento e preservação ambiental com inovação econômica. "No Brasil temos orgulho de pertencer ao grupo de países megadiversos e de possuir a maior extensão de vegetação nativa do planeta o que corresponde a 60% do nosso território nacional."

O presidente disse que, desde 2019, o governo vem adotando políticas de proteção ao meio ambiente "de forma consciente sabendo do duplo desafio que enfrentamos". "Temos a obrigação de preservar nossos biomas e ao mesmo tempo precisamos enfrentar adversidades sociais complexas como o desemprego e a pobreza, além de garantir a segurança alimentar do nosso povo."

O presidente já havia defendido os programas do governo em discurso há uma semana, na abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas. Dessa vez, ele citou a operação 'Verde Brasil 2', para reverter a tendência de aumento da área desmatada. "Vamos dar continuidade a esta operação para intensificar ainda mais o combate a esses problemas que favorecem as organizações que, associadas a algumas ONGS, comandam os crimes ambientais no Brasil e no exterior."

 "Em 2020 avançamos nessa direção e, mesmo enfrentando uma situação difícil e atípica devido ao coronavírus, reforçamos ações de vigilância sobre nossos biomas e fortalecemos nossos meios para combater a degradação dos ecossistemas, a sabotagem externa e a biopirataria", disse.

O evento

Participaram do encontro ainda 22 autoridades, entre as quais a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, os primeiros-ministros da Itália, Giuseppe Conte, e do Reino Unido, Boris Johnson.

A Cúpula das Nações Unidas sobre Biodiversidade, convocada pelo presidente da Assembleia Geral, Volkan Bozkir, tem como tema “Ação Urgente de Biodiversidade para o Desenvolvimento Sustentável”.

O Brasil tem sido alvo de frequente pressão internacional pela preservação da Amazônia. Já o governo diz que se trata de uma campanha por causa de interesses econômicos da Europa. Como tem feito em discursos recentes, o presidente também ressaltou que o governo "está realizando ações sem precedentes para proteger a Amazônia". 

Últimas