Fabiano Silveira deixa Ministério da Transparência

Saída do ministro ocorre após o vazamento de áudios entre ele e o ex-presidente da Transpetro

Silveira telefonou na noite desta segunda para Temer e comunicou sua decisão de deixar o cargo

Silveira telefonou na noite desta segunda para Temer e comunicou sua decisão de deixar o cargo

EBC

O ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Fabiano Silveira, deixou o cargo nesta segunda-feira (30) depois de serem divulgadas declarações dele sobre a Operação Lava Jato, informou o Palácio do Planalto.

Silveira telefonou na noite desta segunda para Temer e comunicou sua decisão de deixar o cargo. O Ministério da Transparência foi criado no governo do presidente interino, Michel Temer como substituto da CGU (Controladoria-Geral da União). A pasta tem o objetivo de defender o patrimônio público por meio das atividades de controle interno, auditoria pública, correição, prevenção e combate à corrupção e ouvidoria.

Mais cedo, o Temer conversou com Silveira para dizer que pretendia mantê-lo no cargo. De acordo com interlocutores do presidente, a avaliação era de que os áudios de Silveira com o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, "não são comprometedores".

Em gravação, ministro da Transparência critica Lava Jato

Silveira teve áudios de conversas com ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado divulgados pela TV Globo. Nas conversas há cerca de três meses, quando Silveira ainda era do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), ele aconselha Machado e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), sobre como deveriam agir em relação às investigações da Operação Lava Jato, da Polícia Federal. Atualmente, Silveira comanda pasta estratégica para medidas de combate à corrupção no País.

Ontem, Silveira procurou o presidente no Palácio do Jaburu para se explicar e teria saído de lá convencido de que Temer lhe daria mais um voto de confiança.