Brasil Fachin se emociona ao lembrar de familiares no início de sabatina

Fachin se emociona ao lembrar de familiares no início de sabatina

Indicado ao Supremo recebeu aplausos em apoio de parte dos senadores

  • Brasil | Do R7

Luiz Fachin foi indicado por Dilma Rousseff ao STF

Luiz Fachin foi indicado por Dilma Rousseff ao STF

Marcos Oliveira/Agência Senado

“Aqui vos fala um sobrevivente”. Foi com essa frase que Luiz Edson Fachin começou sua participação na sabatina do Senado. Indicado ao cargo de ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) pela presidente Dilma Rousseff, o jurista começou sua participação relembrando sua trajetória profissional e de vida.

Fachin relembrou a infância humilde, os trabalhos como pacoteiro de uma loja de tecidos e vendedor de passagens em rodoviária, e a perda precoce do pai.

— Sobrevivi fazendo crítica e autocrtítica.

Leia mais notícias sobre Brasil

Ao citar seus familiares, o sabatinado se emocionou. Fachin chegou a paralisar a fala por segundos e ganhou aplausos de parte dos senadores.

Antes de sabatina, Fachin 'treina' com assessores de líderes da base aliada

O advogado disse que, em sua vida, nunca “fugiu de debates”. “Integro uma geração que viveu a juventude sem liberdade e democracia”, destacou.

— Sempre acreditei que os valores da família, de pátria e da nação são primordiais.

Discussões

Antes do início da sabatina, vários senadores opostos à aprovação do jurista tentaram postergar à entrevista com diversas questões de ordem. O clima tenso fez com que Fachin só conseguisse entrar a sala da CCJ às 11h43 — a sessão começou às 10h. A demora provocou a irritação de Gleisi Hoffmann (PT-PR).

— Temos um dos juristas mais conceituados deste País e estamos vendo que isso virou um debate político e muito interesse da oposição em desgastar o governo. Queria de público pedir desculpas ao professor Fachin.

Além dos senadores, diversos deputados, autoridades e o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), acompanham de perto a sabatina.

Últimas