Famílias que perderam renda por causa do coronavírus recebem 2,7 mil toneladas em doações

Comida doada seria suficiente para alimentar um país como São Tomé e Príncipe (África) por uma semana. Ações humanitárias beneficiaram 2,4 milhões de brasileiros

Programas da Universal distribuíram 2,7 mil toneladas de alimentos

Programas da Universal distribuíram 2,7 mil toneladas de alimentos

Divulgação

Desde março, quando tiveram início as medidas de restrição à circulação de pessoas para evitar a propagação do novo coronavírus, os programas sociais mantidos pela Igreja Universal do Reino de Deus já distribuíram 2,7 mil toneladas de alimentos, que ajudaram 566 mil famílias a sobreviver no período. São brasileiros que perderam a renda a partir da grave crise que atingiu a economia com o fechamento de praticamente todos os estabelecimentos de comércio e serviço.

Estudo divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 24/4 aponta que o desemprego no país deve chegar a 17,8% no ano -- o que representará cerca de 19 milhões de brasileiros sem ocupação. Somados os trabalhadores que já vivem na informalidade, serão 57 milhões de pessoas que podem terminar 2020 sem a certeza de um prato de comida na mesa.

“Frequentemente, vamos a comunidades entregar cestas básicas. Encontramos famílias que não têm nada para comer, nem o arroz e o feijão. Estão sem o seu respectivo trabalho e sem qualquer fonte de renda”, relata a analista financeira Renata Nascimento Silva, voluntária da Universal.

Além das duas mil toneladas de alimentos em cestas básicas, foram entregues 110 mil refeições, 34 mil litros de leite, 205 mil litros de água.

Um dos que recebeu uma refeição preparada pelo programa social Guardiões da Estrada foi o caminhoneiro Jean Carlos. Ele relata que neste período de quarentena, nas estradas, restaurantes, borracharias e alguns serviços que são essenciais estão fechados. “Acho isso injusto, pois o meu trabalho é essencial. Transporto para o país, para suprir as necessidades das pessoas, mas quando eu preciso de uma simples borracharia, encontro fechada”, avaliou o motorista de caminhão.

“Agradeço aos voluntários da Universal pela refeição que vieram trazer”, concluiu.

A quantidade de comida já distribuída no período seria suficiente para alimentar todos os 201 mil habitantes de São Tomé e Príncipe (África) por uma semana.

Mais que alimento 

Outras iniciativas dos programas sociais da Universal voltadas aos segmentos sociais fragilizados em decorrência da crise econômica e das medidas para evitar a propagação da Coivd-19:

● Foram distribuídos 350 mil kits com produtos de higiene desde o início da quarentena da Covid-19, além de 52 mil conjuntos com álcool em gel, máscaras e luvas.
● Uma campanha de coleta de sangue conseguiu 8 mil doadores para abastecer hemocentros de vários estados.
● Foram doadas 66 mil peças de roupa.
● Distribuição de 15 mil cadernos escolares.
● Voluntários acompanharam 23 mil idosos para receber a vacina contra a gripe.

Entre outras ações. Veja balanço completo no fim deste texto.

Para o responsável pelo programa social Calebe, que ampara idosos, as pessoas com mais de 60 anos são as mais afetadas nessa pandemia. “Não é só a cesta básica. Estamos doando a elas o gás de cozinha, material de higiene, máscara, álcool em gel. Existem muitas pessoas da melhor idade que se não fosse essa assistência, certamente, não resistiriam”.

Essas ações foram desenvolvidas pelos programas Unisocial, EVG, Grupo da Saúde, Calebe, Universal nos Presídios, Universal Socioeducativo, Vício tem Cura, Força Jovem Universal, Universal nas Forças Policiais, Raabe, EBI e Escola de Mães. Ao todo, foram beneficiados 2,4 milhões de brasileiros.

Como contribuir

Se quiser colaborar com a ajuda humanitária aos brasileiros que passam necessidade neste momento, procure um templo da Universal para doar alimentos não-perecíveis e produtos de higiene e limpeza. Clique aqui para localizar o endereço mais próximo.

Se preferir, ligue para (11) 3573-3535, ou colabore pelo site Universal.org.