Força-tarefa vai agilizar investigação sobre campanha de Dilma e Temer em 2014

Equipe vai avaliar material relacionado à quebra de sigilo bancário de três gráficas

Força-tarefa vai agilizar investigação sobre campanha de Dilma e Temer em 2014

Chapa formada por Dilma e Temer em 2014 será investigada

Chapa formada por Dilma e Temer em 2014 será investigada

Agência Brasil

O Corregedor-Geral da Justiça Eleitoral, ministro Herman Benjamin, determinou que uma força-tarefa seja criada para colaborar na avaliação do material relacionado à quebra de sigilo bancário de três gráficas que prestaram serviços à chapa de Dilma Rousseff e Michel Temer, nas eleições presidenciais de 2014.

De acordo com a decisão, com data de ontem (19), a força-tarefa será temporária e vai contar com órgãos e agentes técnicos da Polícia Federal, Receita Federal e do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), para "avaliar as movimentações financeiras das empresas periciadas, disponibilizadas pelo Banco Central". As empresas periciadas são a Focal, a Redeseg e a VTPB.

O despacho informa ainda que a Força Tarefa deve trabalhar em regime de colaboração e também em conjunto com os peritos judiciais que foram designados para fazer a perícia contábil nas empresas.

Quebra de sigilo

Na semana passada, o ministro Herman Benjamin determinou a quebra do sigilo bancário das três gráficas, atendendo a um pedido feito pelo MPE (Ministério Público Eleitoral) dentro de uma AIJE (Ação de Investigação Judicial Eleitoral).

Segundo o laudo entregue pelos peritos, as empresas não apresentaram documentos para que comprovassem, em sua totalidade, que foram entregues os produtos e serviços contratados pela chapa.

Além do sigilo das empresas, a decisão atinge também o sigilo bancário de representantes das gráficas e determinou a emissão de um ofício ao Banco Central para que as informações fossem apresentadas.