Fronteiras têm apreensão recorde de drogas de 56 toneladas em abril

Com aumento da fiscalização por causa da covid-19, programa federal de segurança apreendeu  maior volume desde o início da série histórica

Apreensão pela Operação Hórus sob coordenação da Secretaria de Operações Integradas

Apreensão pela Operação Hórus sob coordenação da Secretaria de Operações Integradas

Divulgação/MJSP-15/07/2019

O aumento da fiscalização nas fronteiras por causa da pandemia de coronavírus provocou impacto também no tráfico de drogas. O Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas (VIGIA) apreendeu, por meio da Operação Hórus, cerca de 56 toneladas de drogas em abril.

É o maior volume desde o início da série histórica, iniciado há um ano pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi/MJSP).

Até então, o maior número registrado havia sido em outubro de 2019, com a apreensão de 27 toneladas de drogas. Segundo Eduardo Bettini, coordenador geral de fronteiras Seopi/MJSP, o número elevado se deve a três fatores: o aumento na fiscalização nas fronteiras, ao trabalho cooperativo entre as instituições estaduais e federais e a otimização de estruturas e de recursos disponíveis.

Em relação ao mês anterior, março de 2020, as apreensões de drogas realizadas pelo VIGIA cresceram 330%, passando de 13 toneladas para 56 toneladas. O balanço de um ano do programa registra ainda valores expressivos: 180 toneladas de drogas e 55 milhões de maços de cigarros apreendidos, ocasionando um prejuízo de R$ 280 milhões aos criminosos.

Reforço

Com restrição de entrada de estrangeiros no país durante a epidemia da covid-19, a “Operações Hórus - Barreiras Sanitárias” intensificou as fiscalizações fronteiriças. “Através desses reforços nas barreiras para monitorar o fluxo de pessoas, ocorreu, naturalmente, uma presença maior de agentes de segurança pública nessas regiões e elevou significativamente o número de apreensão de drogas”, explicou Bettini. Para garantir a segurança dos mais de 1.500 agentes que participam do programa, foram enviados equipamentos de segurança individuais (EPIs), um investimento de R$ 1,2 milhão do MJSP.