STF

Brasil Fux e Aras reafirmam importância do diálogo entre as instituições

Fux e Aras reafirmam importância do diálogo entre as instituições

O encontro ocorre ao final de uma semana de tensão crescente entre ministros do Supremo e o presidente Jair Bolsonaro

  • Brasil | Do R7

O presidente do STF, Luiz Fux, e o procurador-geral da República, Augusto Aras

O presidente do STF, Luiz Fux, e o procurador-geral da República, Augusto Aras

Divulgação/STF

Após encontro nesta sexta-feira (6) do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux,  com o  procurador-geral da República, Augusto Aras, na sede da Corte, em Brasília, foi divulgada nota que afirma a importância do diálogo permanente entre as duas instituições.

"Considerando o contexto atual, o ministro Fux convidou Aras para conversar sobre as relações entre o Judiciário e o Ministério Público. Ambos reconheceram a importância do diálogo permanente entre as duas instituições", afirma o texto.

O encontro de cerca de 50 minutos ocorreu ao final de uma semana de tensão crescente entre ministros do Supremo e o presidente da República, Jair Bolsonaro.

Na quinta-feura (5), Fux anunciou o cancelamento de uma reunião entre os chefes dos Poderes que vinha sendo alinhavada desde julho, quando Bolsonaro compareceu presencialmente ao STF. O encontro chegou a ser marcado para aquele mês, mas acabou não ocorrendo por conta da internação do presidente.

O procurador chegou à sede do STF nesta sexta pouco antes das 12h e deixou o local pelo estacionamento no subsolo, às 12h45, sem falar com a imprensa.

Os ataques de Bolsonaro foram direcionados especialmente aos ministros Luís Roberto Barroso, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e Alexandre de Moraes, também membro do TSE.

Em relação a Barroso, as críticas acontecem no embate público relativo ao sistema eleitoral. O presidente defende a adoção do voto impresso auditável e questiona o sistema atual, apenas com urna eletrônica. Barroso defende o sistema eletrônico, falando que ele é confiável, auditável, produz relatório impresso - o Boletim de Urna impresso ao final da votação - e não registrou fraudes desde sua implementação, em 1996. Ele vê risco de fraudes na adoção do voto impresso.

Já Alexandre de Moraes se tornou alvo do presidente novamente nesta quinta, após a inclusão do chefe do Executivo no rol de investigados em inquérito sobre fake news. Em entrevista a uma rádio, Bolsonaro afirmou que a hora de Moraes "vai chegar".

Os ministros vêm reagindo sem atacar diretamente Bolsonaro. Na quinta-feira, no entanto, o presidente foi citado explicitamente por Fux. "Como tem noticiado a imprensa brasileira, nos últimos dias o presidente da República tem reiterado ofensas e ataques de inverdades a integrantes desta Corte, em especial os ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes, sendo certo que quando se atinge um dos integrantes, se atinge a Corte por inteiro", disse.

Últimas