STF

Brasil Fux rejeita pedido de Sara Winter para tirar Moraes de investigação

Fux rejeita pedido de Sara Winter para tirar Moraes de investigação

Ativista já teve prisão decretada pelo ministro e buscava afastá-lo de investigação de práticas que atentam contra a Lei de Segurança Nacional

  • Brasil | Do R7

A ativista Sara Winter

A ativista Sara Winter

Joédson Alves/EFE – 13.05.2020

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux, negou na quarta-feira (23) recurso da defesa da ativista Sara Winter para impedir que o ministro Alexandre de Moraes atuasse em procedimento investigativo contra ela. Fux manteve a determinação do então presidente da Corte, ministro Dias Toffoli, que havia negado seguimento ao pedido.

Winter foi presa em junho no âmbito de um inquérito que apura violações à Lei de Segurança Nacional — uma lei criada durante a ditadura militar. Ao pedir as prisões, a PGR (Procuradoria-Geral da República) argumentou que Winter e outros militantes continuavam "organizando e captando recursos financeiros" para ações ilegais, como atentar contra a integridade física dos chefes dos Poderes da República. Dias depois ela foi solta, sob a condição de usar tornozeleira eletrônica.

Investigação mira 'vaquinha' de R$ 80 mil para grupo de Sara Winter

Constava na decisão de Toffoli ser “público e notório” que o processo se deu logo após ela sofrer medidas processuais de busca e apreensão, em maio, quando divulgou críticas e ameaças ao ministro Alexandre de Moraes por vídeo postado em redes sociais, que levaram à denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República na Justiça Federal. 

Ao reafirmar o posicionamento da Presidência, Fux destacou que o art. 280 do Regimento Interno estabelece que “o Presidente mandará arquivar a petição, se manifesta a sua improcedência”. Em caso semelhante, de pedido de suspeição contra o ministro Alexandre de Moraes, Fux seguiu a mesma linha decretando também o trânsito em julgado da ação.

Últimas