Brasil Governo altera decreto de armas e proíbe que cidadão porte fuzil

Governo altera decreto de armas e proíbe que cidadão porte fuzil

Mudanças no texto foram publicadas no DOU (Diário Oficial da União) nesta quarta-feira (22)

Decreto de arma

Texto foi publicado no DOU nesta quarta-feira (22)

Texto foi publicado no DOU nesta quarta-feira (22)

Divulgação/Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro

O governo federal alterou o decreto que permite o porte de armas, impedindo que o cidadão comum porte fuzis. O novo texto foi publicado nesta quarta-feira (22) no DOU (Diário Oficial da União). 

Um ponto do decreto poderia liberar a venda de fuzis para cidadãos comuns. 

Maioria dos brasileiros não quer ter arma em casa

Mudanças no texto foram anunciadas na terça-feira (21) pelo porta-voz da Presidência, , Otávio Rêgo Barros

O texto publicado no DOU afirma que as armas de fogo com uso restrito são as "não portáteis, de porte que, com a utilização de munição comum, atinjam, na saída do cano, energia cinética superior a mil e duzentas libras-pé e mil seiscentos e vinte joules; ou portátil de alma raiada que, com a utilização de munição comum, atinjam, na saída do cano, energia cinética superior a mil e duzentas libras-pé e mil seiscentos e vinte joules.

As armas proibidas são as "classificadas de uso proibido em tratados internacionais dos quais a República Federativa do Brasil seja signatária ou dissimuladas, com aparência de objetos inofensivos". 

Em nota, o Palácio do Planalto afirma que um dos atos foi editado "com o objetivo de sanar erros meramente formais identificados na publicação original, como numeração duplicada de dispositivos, erros de pontuação, entre outros".