Reforma da Previdência
Brasil Governo não tem maioria para reforma da Previdência, diz Ramos

Governo não tem maioria para reforma da Previdência, diz Ramos

Marcelo Ramos, presidente da comissão especial, estimou que PEC da reforma não tem apoio dos 308 votos necessários para ser aprovada

Governo não tem maioria para reforma da Previdência, diz Ramos

Relação do governo com Congresso é culpada para falta de apoio a PEC, diz Ramos

Relação do governo com Congresso é culpada para falta de apoio a PEC, diz Ramos

DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

O presidente da comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa a proposta de reforma da Previdência, Marcelo Ramos (PR-AM), disse nesta segunda-feira que o governo do presidente Jair Bolsonaro é incapaz de formar uma maioria para aprovar a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) da reforma.

Ele disse, no entanto, que o país não pode ficar refém dessa situação e que o Congresso vai liderar o processo da reforma, apontada como crucial para o equilíbrio das contas públicas.

"Nós temos que isolar os problemas com a postura do governo e fazer o que tem que ser feito para o Brasil, que é fazer a reforma da Previdência andar. Independente do governo, vamos fazer a reforma andar", disse Ramos à Reuters.

O deputado estimou que a PEC da reforma não tem o apoio de mais de 200 deputados, bem abaixo dos 308 votos necessários para ser aprovada em dois turnos de votação na Casa e ser encaminhada para análise no Senado. Ele apontou a precária relação de Bolsonaro com o Congresso como culpada.

"Eu acho que as demonstrações dele (Bolsonaro) desde que ele era parlamentar, e agora são reafirmadas, são de desprezo à democracia. Agora precisamos isolar essa atitude antidemocrática e de pouco respeito às instituições e não deixar que o país paralise por conta dessa postura", afirmou o deputado.

As declarações de Ramos vêm pouco depois de Bolsonaro afirmar em discurso na Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro) que o problema do Brasil é a classe política.