Governo prorroga atuação de Força Nacional na Amazônia

Na sexta-feira (10), Bolsonaro assinou decreto que estendeu atuação das Forças Armadas na região até 6 de novembro deste ano

Força Nacional vai combater desmatamento

Força Nacional vai combater desmatamento

Arquivo/Ag. Brasil

O governo federal prorrogou a atuação da Força Nacional na Amazônia fiscalizar e combater o desmatamento e crimes ambientais. A decisão, assinada pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, foi publicada no DOU (Diário Oficial da União) nesta segunda-feira (13). 

Na sexta-feira (10), o presidente Jair Bolsonaro determinou a prorrogação do emprego das Forças Armadas na região. A portaria de Mendonça tem como objetivo fazer com que a Força Nacional apoie os militares na região. 

A ação de ambas as Forças na região foi autorizada até 6 de novembro deste ano, que pode ser prorrogado. As Forças Armadas são formadas pela Marinha, Exército e Aeronáutica e são utilizadas para garantir a segurança nacional, enquanto a Força Nacional é uma tropa que costuma atuar em situações de emergência e calamidade pública.

Mourão e investidores

Na quinta-feira (9), o vice-presidente, Hamilton Mourão, participou de uma videoconferência com investidores internacionais em que um grupo de empresas brasileiras e estrangeiras pedia a defesa da agenda do desenvolvimento sustentável e o combate “inflexível e abrangente” ao desmatamento ilegal na Amazônia.

Mourão, que também é presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal, disse que o governo federal não é responsável pelo desmonte das agências ambientais. "Nosso governo não é responsável pelo desmonte das estruturas das agências ambientais", disse. "Nós herdamos tanto o Ibama quanto o ICMBio com um reduzido número de servidores", afirmou.