grevecaminhoes
Brasil Governo vai usar Forças Armadas para desobstruir estradas

Governo vai usar Forças Armadas para desobstruir estradas

Polícia Federal vai investigar participação dos patrões na paralisação dos caminhoneiro, prática ilegal conhecida como locaute

Governo vai usar Forças Armadas para desobstruir estradas

Caminhoneiros bloqueiam Régis Bittencourt, na altura de Embu das Artes (SP)

Caminhoneiros bloqueiam Régis Bittencourt, na altura de Embu das Artes (SP)

FELIPE RAU/ESTADÃO CONTEÚDO - 25.05.2018

Diante da proporção que está tomando a paralisação dos caminhoneiros, com bloqueio de estradas e desabastecimento de combustível e alimentos, o governo decidiu endurecer nesta sexta-feira (25) a reação ao movimento.

Segundo apurou o "Estadão/Broadcast", já está autorizado o uso das Forças Armadas para a desobstrução das estradas. O presidente Michel Temer deve fazer um pronunciamento a qualquer momento para falar sobre a greve e fazer uma avaliação da situação.

A Polícia Federal vai investigar a possibilidade de locaute — participação dos patrões — na paralisação dos caminhoneiros, que entrou nesta sexta no quinto dia, apesar do acordo firmado na noite de quinta-feira (24).

Mesmo com a proposta do governo de compensar as perdas de caixa da Petrobras — subvenções bancadas pelo Tesouro Nacional manterão o preço do diesel estável para os distribuidores —, o que se constata nesta sexta é a ampliação dos pontos de retenção das estradas e não a redução do movimento, como esperava o governo federal.

Locaute é caracterizado quando empresários de um setor contribuem, incentivam ou orientam a paralisação de seus empregados. Ou seja, quando uma greve liderada pelos patrões, com o intuito de obter benefícios para o setor, o que é proibido por lei.

A avaliação do próprio governo é de que o Planalto subestimou a proporção que a mobilização poderia tomar, um erro do sistema de inteligência, que é comandado pela Abin (Agência Brasileira de Inteligência).

Arte/R7