Crise na Venezuela
Brasil Guaidó: "Não se pode viver em paz quando massacram um povo"

Guaidó: "Não se pode viver em paz quando massacram um povo"

Presidente autoproclamado da Venezuela se encontrou com Bolsonaro nesta quinta-feira, em Brasilia 

Guaidó afirma que "não se pode viver em paz quando massacram um povo"

Guaidó encontrou Bolsonaro nesta quinta

Guaidó encontrou Bolsonaro nesta quinta

Ueslei Marcelino/Reuters - 28.02.2019

O líder do parlamento da Venezuela, Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente em exercício do seu país, afirmou nesta quinta-feira que "não se pode viver em paz" quando uma ditadura "massacra um povo", depois de se reunir com o presidente Jair Bolsonaro.

Guaidó, reconhecido como presidente interino da Venezuela por cerca de 50 governos, reiterou junto a Bolsonaro que em seu país "não é verdade que haja um dilema entre guerra e paz, entre uma e outra ideologia", mas a disjuntiva se dá "entre democracia e ditadura, entre miséria e morte".

Bolsonaro diz que esquerda gosta tanto de pobres que os multiplica

Em nome do povo venezuelano, o venezuelano agradeceu Bolsonaro pelo apoio que o Brasil deu à "luta" para substituir o governo de Nicolás Maduro e "recuperar a democracia", para que a Venezuela possa voltar "ao caminho do progresso".