Novo Coronavírus

Brasil Guedes rejeita extrapolar teto de gastos mesmo com pandemia

Guedes rejeita extrapolar teto de gastos mesmo com pandemia

Ministro da Economia também disse que governo deve enviar ao Congresso uma proposta de suspensão de reajustes de salários para servidores públicos

Reuters - Brasil
Guedes diz que recursos da saúde estão garantidos

Guedes diz que recursos da saúde estão garantidos

Adriano Machado/Reuters – 03.04.2020

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta segunda-feira (27) que não há motivos para suspender o teto de gastos mesmo com a epidemia de coronavírus, já que os recursos para saúde estão garantidos.

Segundo Guedes, se faltassem recursos para a Saúde, o teto, aprovado pelo Congresso durante o governo do ex-presidente Michel Temer, "até poderia ser suspenso, mas não é caso".

"Para que falar em derrubar teto se o teto é que nos protege na tempestade", disse Guedes, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, ao sair de uma reunião no Palácio da Alvorada.

'Homem que decide a economia é um só: Paulo Guedes', diz Bolsonaro

O ministro disse ainda que o governo deve enviar essa semana ao Congresso uma proposta de suspensão de reajustes de salários para servidores públicos por um ano e meio. Segundo Guedes, os servidores precisam dar sua colaboração e não podem "ficar em casa, com a geladeira cheia", em um momento de crise.

"Os servidores vão colaborar, vão ficar um tempo sem pedir aumento, por um ano e meio. Essa semana mesmo vamos ter essa novidade", disse Guedes.

A suspensão de qualquer reajuste a servidores é uma contrapartida ao pacote de ajuda aos Estados que, segundo Guedes, deve ser aprovado esta semana. Essa era uma demanda da equipe econômica para aprovação da ajuda e o governo está trabalhando com o Senado em uma proposta diferente da que foi aprovada pela Câmara dos Deputados, muito além do desejado pela equipe econômica.

O ministro disse ainda que essa semana deverá ser aprovado pelos senadores esse pacote de ajuda aos Estados, em uma negociação com o presidente de Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

(Reportagem de Lisandra Paraguassu)

Últimas