Helicóptero da Presidência solta fogo antes de decolar com Dilma. Assista

Foi a terceira anormalidade apresentada por uma aeronave do governo em menos de um mês

Dilma viaja aos Estados Unidos para participar de Assembleia-Geral da ONU

Dilma viaja aos Estados Unidos para participar de Assembleia-Geral da ONU

Roberto Stuckert Filho/PR

Um dos helicópteros usados para transportar a presidente Dilma Rousseff soltou uma labareda de fogo em região próxima às suas hélices nos momentos que antecederam sua decolagem no final da tarde desta quinta-feira (24). (Assista ao vídeo abaixo)

O voo partiu do Palácio da Alvorada até a base aérea de Brasília, de onde a presidente prosseguiu viagem rumo aos Estados Unidos. Em sua visita ao país, a presidente vai participar da 70ª Assembleia-Geral da ONU (Organização das Nações Unidas) e só volta ao Brasil na próxima terça (29), quando deve formalizar o anuncio da reforma ministerial.

Antes da labareda desta quinta-feira (24), ocorreram duas anormalidades com helicópteros da Presidência em menos de um mês.

No começo do mês, uma das aeronaves, que levaria Dilma para Natal não saiu do lugar quando a presidente já estava embarcada. Em poucos minutos uma fumaça começou a sair do motor e Dilma foi obrigada a descer e percorrer o trajeto de carro.

Uma semana antes, o mesmo helicóptero apresentou uma pane elétrica e passou por uma manutenção no próprio gramado do Planalto. Na ocasião, a presidente tinha acabado de chegar de Nova York, onde fez o discurso de abertura da assembleia-geral da ONU.

A Presidência possui três helicópteros de modelos parecidos. O modelo usado nesta noite foi o H-34 Super Puma.   

“Dentro da normalidade”

A aeronáutica informou que a labareda de fogo que aparece durante a decolagem do helicóptero que levou a presidente Dilma à base aérea de Brasília é produto da partida da aeronave e está 100% dentro da normalidade.

De acordo com a assessoria do órgão, o piloto tomou conhecimento do episódio e deu continuidade à decolagem porque nenhum problema foi detectado.

As imagens enviadas pela Tv Record foram analisadas por um piloto especialista da aeronáutica. Ele afirma que a labareda só ficou mais visível porque já estava escuro na hora da decolagem.