Brasil Homem é preso  por se manifestar contra Governo em estádio de futebol

Homem é preso  por se manifestar contra Governo em estádio de futebol

Homem se manifestou com gritos contra o atual presidente Jair Bolsonaro quando foi abordado e algemado por policiais militares

  • Brasil | Do R7

Homem é preso por se manifestar contra Governo em estádio de futebol

Homem é preso por se manifestar contra Governo em estádio de futebol

Reprodução/Facebook

Um homem foi detido por policiais militares dentro do estádio do Corinthians depois de se manifestar contra o atual governo do presidente Jair Bolsonaro, na noite do último domingo (05). No estádio, acontecia o clássico entre Corinthians e Palmeiras, válido pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. 

Leia também: Morre segurança da CPTM agredido por vendedores ambulantes

De acordo com o boletim de ocorrência, o homem relatou que estava no setor de cadeiras do estádio quando, em determinado momento, se manifestou com gritos contra o atual presidente Jair Bolsonaro.

Após as declarações, policiais militares, que realizavam a segurança dentro do estádio, abordaram o rapaz, o algemaram e levaram para a Delegacia de Polícia de Repressão e Análise aos Delitos de Intolerância Esportiva do DHPP (Departamento de Homicídios e proteção à Pessoa).

Segundo relatado no registro da ocorrência, os policiais disseram que o levaram o homem para a delegacia para evitar um possível princípio de tumulto, e que foram utilizados "meios necessários" para o encaminhar à delegacia.

Em uma publicação em uma rede social, o homem afirmou que foi humilhado e algemado apenas por suas declarações. Ele postou fotos do braço e dos dedos lesionados em decorrência da ação da PM.

Leia também: Doria ganha novo prazo para tentar retomar obras da Linha Laranja

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (íntegra da nota abaixo) afirmou que o rapaz não foi preso, apenas conduzido ao Juizado Especial Criminal, localizado dentro da Arena Corinthians, onde foi registrado um boletim não-criminal e liberado em seguida.

A pasta informou que as declarações de Rogerio causaram animosidades na torcida, com potencial de gerar tumulto e violência generalizada, e a ação de retira-lo foi para proteção à integridade física do mesmo.

Íntegra da Nota da Secretaria de Segurança Pública sobre o caso:

"A SSP esclarece que todas as polícias de São Paulo são instrumentos do Estado Democrático de Direito e não pautam suas ações por orientações políticas. Entre as atribuições da Polícia Militar estão: proteger as pessoas, fazer cumprir as leis, combater o crime e preservar a ordem pública.

No caso em questão, a conduta foi adotada para preservar a integridade física do torcedor, que proferia palavras contra o presidente da República, o que causou animosidade com outros torcedores, com potencial de gerar tumulto e violência generalizada.

A pasta informa que não houve prisão, mas a condução dele por policiais militares ao posto do Juizado Especial Criminal (Jecrim), instalado dentro da Arena Corinthians, onde foi registrado boletim de ocorrência não criminal e depois liberado para voltar a assistir à partida de futebol."

Últimas