Brasil Ibovespa fecha em alta com confiança sobre recuperação econômica

Ibovespa fecha em alta com confiança sobre recuperação econômica

Superando os 131 mil pontos em meio a noticiário positivo sobre reabertura de  atividade. Uma das maiores altas do mercado

Reuters - Economia
O volume financeiro da sessão somou 28,2 bilhões de reais

O volume financeiro da sessão somou 28,2 bilhões de reais

Pixabay

 O Ibovespa fechou em alta nesta segunda-feira (14), superando os 131 mil pontos no melhor momento, em meio a noticiário positivo sobre recuperação da atividade, com papéis que se beneficiam da reabertura econômica entre as maiores altas.

A queda das ações atreladas a commodities e de companhias exportadoras, incluindo Vale, assim como declínio dos papéis de Itaú Unibanco e Bradesco, porém, abrandaram a recuperação, após a primeira semana negativa desde meados de maio.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 0,59%, a 130.207,96 pontos. Na máxima, chegou a 131.083,66 pontos. O volume financeiro da sessão somou 28,2 bilhões de reais.

Antes da abertura, o IBC-Br, considerado sinalizador do PIB (Produto Interno Bruto) e calculado pelo Banco Central, mostrou que a atividade econômica brasileira voltou a registrar alta em abril, ainda que abaixo das expectativas.

"Mantemos viés positivo para o segundo trimestre, tanto pelo retorno do auxílio emergencial quanto pela flexibilização das restrições de mobilidade em maio e junho", afirmou o economista do BTG Pactual, Bruno Delalibera.

Em paralelo, reforçando as apostas positivas para a economia no país, o governador de São Paulo, João Doria, anunciou no domingo a antecipação em 30 dias do calendário de vacinação contra Covid-19 no Estado.

"O calendário antecipado de vacinação impulsionará o crescimento do PIB em 2021", estimaram os economistas do Credit Suisse Solange Srour e Lucas Vilela.

Wall Street fechou com o S&P 500 e o Nasdaq nas máximas, com o mercado em clima de expectativa para o desfecho da reunião do Federal Reserve na quarta-feira, particularmente suas percepções sobre a dinâmica atual da inflação.

DESTAQUES

- COGNA ON disparou 9,45%, em meio ao prognóstico mais positivo para reabertura e atividade econômica no país. YDUQS ON subiu 4,07%.

- B2W ON valorizou-se 5,1%, também beneficiada pelas perspectivas mais positivas para reabertura e atividade econômica no país, com papéis de varejo como um todo no azul.

- BRMALLS ON fechou em alta de 4,26%, dado o quadro mais favorável para a economia, com os rivais MULTIPLAN e IGUATEMI ON também subindo.

- GERDAU PN caiu 2,73%, em sessão de fraqueza do setor de mineração e siderurgia no Ibovespa, com VALE ON cedendo 0,54%.

- KLABIN UNIT e SUZANO ON perderam 1,35% e 0,85%, respectivamente, tendo de pano de fundo a queda do dólar em relação ao real, que pesou em outras exportadoras.

- ITAÚ UNIBANCO PN e BRADESCO PN recuaram 0,34% e 0,43%, respectivamente, pesando no Ibovespa, enquanto BANCO DO BRASIL ON avançou 1,03%.

- BRASKEM ON fechou em queda de 1,66%, na terceira queda seguida, após renovar máximas na semana passada, com a alta acumulada no mês acima de 12%.

- PETROBRAS PN avançou 0,63%, após sinalizar plano de oferta para vender de sua participação restante BR Distribuidora. BR ON subiu 1,49%.

Últimas