Brasil Inquérito da PF interessa a todos e tem quer ser público, diz Bolsonaro

Inquérito da PF interessa a todos e tem quer ser público, diz Bolsonaro

Presidente reagiu à decisão do ministro Alexandre de Moraes, do STF, de torná-lo alvo de investigação por quebra de sigilo

Reuters - Brasil
Presidente voltou a dizer que só aceitará resultados das urnas se as eleições forem 'limpas'

Presidente voltou a dizer que só aceitará resultados das urnas se as eleições forem 'limpas'

Adriano Machado/Reuters - 11.08.2021

O presidente Jair Bolsonaro rebateu, durante sua live semanal nesta quinta-feira (12), a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes de autorizar inquérito contra ele por ter quebrado sigilo de uma investigação da Polícia Federal sobre invasão cibernética aos sistemas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e defendeu a divulgação das informações.

Alvo de novo inquérito por determinação do ministro Alexandre de Moraes por divulgar em suas redes sociais os dados sigilosos do inquérito do ataque hacker, Bolsonaro minimizou a decisão, lembrando que as informações publicadas já foram copiadas.

O presidente disse que inquérito da PF interessa a todos e, por isso, tem que ser público. Ele também voltou a insinuar que o TSE estaria interferindo nas investigações e a sugerir, sem provas, a possibilidade de fraude nas urnas eletrônicas.

Eleições 'limpas'

Mais uma vez, Bolsonaro disse que não aceitará o resultado das eleições de 2022 se considerar que não ocorreram de forma "limpa" e defendeu a contagem pública dos votos, após a derrota sofrida no Congresso com a rejeição de proposta que tratava do voto impresso.

Nesta quinta (12), na abertura da sessão plenária, o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, fez uma defesa enfática da confiabilidade das urnas eletrônicas e da lisura das eleições brasileiras e anunciou uma série de medidas para ampliar a transparência e a auditabilidade do sistema eletrônico de votação.

Últimas