INSS adia novamente reabertura de agências para 14 de setembro

Após cinco meses, a previsão de retomada do atendimento presencial era na segunda-feira (24). Serviços continuam pela internet, aplicativo e telefone

Atendimento é feito pelo site, aplicativo ou central telefônica

Atendimento é feito pelo site, aplicativo ou central telefônica

Adriana Toffetti/ A7 Press/ Estadão Conteúdo - 25.05.2020

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) adiou mais uma vez a retomada do atendimento presencial nas agências em todo o país. A reabertura agora será em 14 de setembro, segundo decisão da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho e do instituto, para o retorno gradual e seguro.

O atendimento exclusivo por meio de canais remotos será também prorrogado até o dia 11 de setembro e continuará sendo realizado mesmo após a reabertura das agências. Os prazos irão constar em Portaria Conjunta a ser publicada nesta segunda-feira (24).

Leia também: Aposentados do INSS poderão fazer ‘prova de vida’ pelo celular

A previsão era a reabertura gradual das agências na próxima segunda-feira (24). Os serviços continuarão a ser feitos exclusivamente de forma remota, pela Central Telefônica 135, pelo aplicativo e pelo portal Meu INSS.

Por causa da pandemia de coronavírus, as agências estão fechadas desde 24 de março. Segundo o INSS, o objetivo é evitar a aglomeração de pessoas.

"A reabertura gradual e segura irá considerar as especificidades de cada uma das Agências da Previdência Social no país. Cada unidade deverá avaliar o perfil do quadro de servidores e contratados, o volume de atendimentos realizados, a organização do espaço físico, as medidas de limpeza e os equipamentos de proteção individual e coletiva para evitar a transmissão da covid-19", afirma a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho.

Quando as atividades presenciais forem reiniciadas, terão prioridade os serviços de perícia médica, avaliação social, cumprimento de exigência, justificação administrativa e reabilitação profissional. Serão retomados também a justificação judicial e o atendimento relacionado ao monitoramento operacional de benefícios.