Investigado por supostas contas na Suíça, Cunha cancela viagem à Itália

Deputado nega relação com inquérito e disse que vai ficar no Brasil para ir a casamento

Deputado viajaria nesta quinta-feira para Roma

Deputado viajaria nesta quinta-feira para Roma

Gustavo Lima/25.08.2015/Câmara dos Deputados

Alvo de uma investigação envolvendo autoridades suíças e brasileiras, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), cancelou uma viagem que faria à Itália. Ele deveria embarcar nesta quinta-feira (1º), mas disse que ontem já havia decidido não ir.

Cunha negou que o cancelamento da viagem tenha relação com as denúncias de que ele e a família possuem contas na Suíça e disse que o motivo é o casamento do senador Romero Jucá (PMDB-RR), de quem se disse “muito amigo”.

— Vou ficar para o casamento do [Romero] Jucá, que é aqui em Brasília no sábado.

Em Roma, o parlamentar participaria do Fórum Parlamentar Itália-América Latina e Caribe. Ele argumentou que seria uma viagem muito corrida “para um evento que não tem tamanho que justificasse”.

— Eu tinha que voltar segunda-feira de lá. Eu não iria participar do fórum como um todo, porque vai até quarta-feira. Eu iria apenas fazer um discurso na segunda-feira de manhã, para voltar correndo.

As autoridades suíças transferiram para o Brasil a investigação contra Eduardo Cunha. As informações foram encaminhadas à Procuradoria-Geral da República, que decidirá se vai abrir inquérito e oferecer denúncia.

Suíça bloqueia conta que teria Cunha como beneficiário

Foi por meio de contas na Suíça que Cunha teria recebido dinheiro de propina dos contratos da Petrobras. Familiares do parlamentar também estariam envolvidos.

A lei proíbe que Cunha, brasileiro nato, seja extraditado para a Suíça. Portanto, as autoridades daquele País enviaram o processo como sendo um procedimento de cooperação internacional.

Ontem, Cunha se irritou ao ser questionado sobre a existência das contas e voltou a dizer que não vai comentar. Por meio da assessoria de imprensa, ele afirma que "desconhece qualquer procedimento investigatório".

Lobista do PMDB diz que abriu conta na Suíça para pagar propina a Eduardo Cunha