Jair Bolsonaro dá posse aos 22 ministros que vão integrar governo

Cerimônia ocorreu no Palácio do Planalto,logo após presidente assumir o cargo, na tarde desta terça-feira 

Jair Bolsonaro deu posse aos 22 ministros após se oficializar presidente

Jair Bolsonaro deu posse aos 22 ministros após se oficializar presidente

Ueslei Marcelino/Reuters - 1.1.2018

O presidente da República, Jair Bolsonaro, nomeou, na tarde desta terça-feira (1º), os 22 ministros que vão integrar o primeiro escalão do governo dele a partir de amanhã.

Ele também assinou o decreto que diminui o número de ministérios.

O primeiro a assinar o termo de posse, como por tradição, foi Sérgio Moro, ministro da Justiça. O ex-juiz da Lava Jato foi aplaudido pelo público.

Os demais ministros são: Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Paulo Guedes (Economia), General Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), Tereza Cristina (Agricultura), Ricardo Vélez Rodrígues (Educação), Ricardo de Aquino Salles (Ministério do Meio Ambiente), Marcelo Álvaro Antônio (Turismo), Roberto Campos Neto (Banco Central - tem status de ministério até Congresso autorizar independência), Damares Alves (Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos), Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional), Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura), Fernando Azevedo e Silva (Defesa), Osmar Terra (Cidadania e Ação Social), Luiz Henrique Mandetta (Saúde), Wagner de Campos Rosário (Controladoria-Geral da União), Gustavo Bebbiano (Secretaria-Geral da Presidência da República), André Luiz de Almeida Mendonça (Advocacia-Geral da União - atualmente tem status de ministério) e Carlos Alberto dos Santos Cruz (Secretaria de Governo).  

A cerimônia ocorreu no Palácio do Planalto, onde Bolsonaro recebeu a faixa presidencial do agora ex-presidente Michel Temer.

Antes de dar posse aos ministros, o presidente e o vice, Hamilton Mourão, receberam cumprimentos de autoridades estrangeiras no Salão Leste. Entre os convidados estavam o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu; o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo; além de presidentes como o da Bolívia, Evo Morales; do Chile, Sebastián Piñera, da Hungria, Viktor Orbán; da Colômbia, Iván Duque; do Paraguai, Mario Abdo Benítez, entre outros representantes.

Também estiveram no Palácio do Planalto os governadores João Doria (SP), Wilson Witzel (RJ), Ibaneis Rocha (DF), Ronaldo Caiado (GO) e Ratinho Júnior (PR).