Brasil Janot pede licença à OAB do DF e ficará impedido de advogar

Janot pede licença à OAB do DF e ficará impedido de advogar

Tribunal de ética da Ordem analisa possível suspensão do ex-procurador após declarações sobre intenção de matar ministro do STF

Janot pede licença à OAB do DF e ficará impedido de advogar

O ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot

O ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot

Marcelo Camargo / Agência Brasil / CP

O ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot pediu na tarde desta quarta-feira (9) licença da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seção do DF, a qual é ligado. Dessa forma, ele fica impedido de advogar.

O pedido acontece dias após o ex-procurador se ver envolto em polêmica após declarar que pretendeu matar o ministro do Superior Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes.

A própria OAB-DF estudava suspender a carteira dele por pelo menos seis meses após a declaração. O Tribunal de Ética e Disciplina da entidade recebeu dois pedidos para análise do caso, feitos pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL) e pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, citando as declarações de Janot sobre Gilmar Mendes.

Leia mais: STF vai decidir quem deve passar por detector de metais em tribunais

Em nota, a Ordem divulgou que analisará agora analisará como proceder em relação a esses processos éticos tendo em vista o pedido de licença de Janot.

Livro

Na última segunda-feira (7), Janot lançou seu livro “Nada Menos que Tudo” em São Paulo e participou de uma noite de autógrafos que acabou esvaziada em razão da polêmica envolvendo o ex-procurador.