Brasil Jardim: pressão para que STF paute prisão em 2ª instância é legítima

Jardim: pressão para que STF paute prisão em 2ª instância é legítima

Ministro da Justiça ainda disse, nesta quinta-feira (15), que sociedade tem dúvidas sobre o entendimento da decisão

Pressão no STF é legítima

Pressão no STF é legítima

Agência Brasil

Torquato Jardim, ministro da Justiça, disse que acha “legítima” a pressão que aliados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fazem para que o STF (Supremo Tribunal Federal) revise o entendimento que determina a prisão após a condenação em segunda instância.

— O diálogo político faz parte da democracia, você faz a cobrança que quiser sobre o tema que quiser.

A declaração foi feita em uma coletiva de imprensa, após o ministro participar do Fórum Econômico Mundial, nesta quarta-feira (15), em São Paulo.

Ainda para o ministro, que já se mostrou a favor da condenação após decisão em segundo grau, a sociedade tem dúvidas sobre o tema.

— Há uma perplexidade intelectual e uma dúvida política natural na sociedade brasileira para saber se esse 6 a 5 continua ou muda.

Defesa de Lula pede que Fachin leve habeas corpus para julgamento

Cármen Lúcia

Na quarta-feira (14), 26 deputados federais de 12 partidos de oposição se reuniram com a ministra Cármen Lúcia. A comitiva entregou à presidente do STF um documento pedindo a inclusão em pauta de julgamento pelo plenário do habeas corpus de Lula.

No entanto, Cármen Lúcia já adiantou que não colocará em pauta as ações que discutem a execução provisória de pena após condenação confirmada em segundo instância. Ela também disse aos deputados que o julgamento do HC independe de inclusão em pauta.

Mais cedo, a ministra tinha recebido o advogado Sepúlveda Pertence, da defesa de Lula. A reunião também foi sobre o HC do ex-presidente. 

    Access log