João Capiberibe lidera corrida eleitoral em Macapá, diz pesquisa

Nos cinco cenários analisados, o pré-candidato do PSB aparece em primeiro lugar, com variação de 18% a 21% das intenções de votos

O pré-candidato João Capiberibe (PSB) lidera e também tem a maior rejeição

O pré-candidato João Capiberibe (PSB) lidera e também tem a maior rejeição

Valter Campanato/Agência Brasil

O instituto RealTime Big Data divulgou nesta quinta-feira (27) uma pesquisa de intenções de voto para a eleição municipal em Macapá (AP). Nos cinco cenários analisados, o pré-candidato João Capiberibe (PSB) lidera a pesquisa com variação de 18% a 21% das intenções de votos. Capiberibe também lidera em rejeição, com 25%.

Leia também: Covas e Russomanno lideram disputa em SP, diz pesquisa

Foram entrevistadas 1.050 pessoas nos dias 20 e 21 de agosto, e a margem de erro é de 3 pontos percentuais, para cima ou para baixo. O nível de confiança é de 95%.

Em três dos cinco cenários, em segundo lugar vem a deputada federal Patrícia Ferraz, pré-candidata à Prefeitura de Macapá pelo Podemos, com variação de 10% a 11%. O pré-candidato Josiel Alcolumbre (DEM) fica em segundo em um dos cenários e em terceiro lugar em outros três cenários, com 9% a 11%. 

Cirilo Fernande, pré-candidato do PRTB, aparece um segundo em um cenário e em terceiro em outro. Dr. Furlan (Cidadania) fica em terceiro em um dos cenários, com 8%. Os outros pré-candidatos são Rubem Bermenguy (Rede Sustentabilidade) e o deputado estadual Paulo Lemos (PSOL). 

Veja os cenários 

No cenário 1, Capiberibe tem 18%, Patrícia Ferraz (10%), Josiel Alcolumbre (9%), Cirilo Fernandes (8%), Dr. Furlan (8%) , Rubem Bermeguy (4%), Paulo Lemos (3%), brancos e nulos (22%) e não sabem ou não responderam (18%).

Reprodução/RealTime Big Data

No cenário 2, João Capiberibe (20%), Patrícia Ferras (11%), Dr. Furlan (9%), Josiel Alcolumbre (9%), Cirilo Fernandes (8%), brancos e nulos (22%) e não sabem ou não responderam (21%).

Reprodução/RealTime Big Data

No cenário 3, João Capiberibe (19%), Josiel Alcolumbre (11%), Patricia Ferraz (11%), Dr. Furlan (8%), Rubem Bermeguy (5%), brancos e nulos (23%) e não sabem ou não responderam (23%).

Reprodução/RealTime Big Data

No cenário 4, João Capiberibe (21%), Cirilo Fernandes (11%), Josiel Alcolumbre (11%), Paulo Lemos (4%), brancos e nulos (28%) e não sabem ou não responderam (25%).    

Reprodução/RealTime Big Data

No cenário 5, João Capiberibe (20%), Patrícia Ferraz (11%), Cirilo Fernandes (10%), Josiel Alcolumbre (10%), brancos e nulos (25%) e não sabem ou não responderam (24%).

Divulgação/RealTime Big Data

Rejeição

João Capiberibe também lidera com a maior rejeição entre todos os candidatos, com 25% dos eleitores dizendo que não votariam nele de jeito nenhum. Na sequência vem Cirilo Fernandes, com 9%, seguido por Josiel Alcolumbre (8%), Patricia Ferras (5%), Dr. Furlan (4%), Paulo Lemos (3%), Rubem Bermeguy (2%). Disseram rejeitar todos os pré-candidatos 17% e não rejeitar nenhum, 15%. Não sabem ou não responderam  12%.

Na pesquisa espontânea, na qual os eleitores são perguntados em quem votariam antes de ver o nome dos candidatos, o atual prefeito de Macapá, Clécio Luís (Rede), que não é candidato, lidera com 8%. Em seguida, vem João Capiberibe (6%), Cirilo Fernandes (1%), Josiel Alcolumbre (1%), Patricia Ferras (1%), outros (2%), brancos e nulos (22%) e não sabem ou não reponderam (59%).

Reprodução/RealTime Big Data

Avaliação do governo

Na avaliação do governo, de satisfação com o mandato do atual prefeito de Macapá, Clécio Luís, consideram ótimo e bom 55%, regular 30%, ruim e péssimo  13% e não sabem ou não responderam 2%.

A administração do prefeito Clécio Luís recebeu a aprovação de 69% e desaprovação de 24%. Não sabem ou não responderam 7%.

A pesquisa analisou também a satisfação com o governador do Estado do Amapá, Waldez Góes (PDT), que teve 22% de aprovação e 63% de desaprovação. Não sabem ou não responderam (15%).

Reprodução/RealTime Big Data

Já o governo do presidente Jair Bolsonaro teve a aprovação de 47% e a desaprovação de 46%. Não sabem ou não responderam 7%.