João de Deus já foi acusado de tráfico de drogas, diz revista

Médium está preso desde o último domingo (16) após centenas de denúncias de abuso sexual

João de Deus já foi acusado de tráfico de drogas

João de Deus já foi acusado de tráfico de drogas

Igo Estrela/Metropoles/Reuters – 16.12.2018

O médium João de Deus, preso desde o último domingo (16) após centenas de denúncias de abuso sexual, também já foi investigado por tráfico de drogas e por tortura.

De acordo com documentos obtidos pela revista Veja, um ex-funcionário fez as acusações contra o líder espiritual. Segundo a revista, Antonio Alves acusou João de Deus de tortura e ainda declarou que os dois atuaram juntos no tráfico de cocaína durante seis anos.

O processo, mostrado pela revista, conta com depoimentos de três homens que foram presos em 1996 por tráfico e furto. Eles foram detidos depois de brigarem com um segurança e furtarem a bolsa de uma mulher que estava na Casa Dom Inácio de Loyola. Um deles, porém, aponta que as prisões foram uma armação do médium para um acerto de contas.

Os acusados teriam sido levados à delegacia e obrigados a confessar porte de maconha. Depois disso, teriam sido torturados. O “João Curador”, como o chamam no processo, teria tomado o depoimento, espancado e ameaçado de morte. O médium teria atuado como uma espécie de delegado durante as sessões de tortura.

A publicação conta que, ao tomar conhecimento dos fatos, um juiz do Ministério Público detectou falhas de procedimento e concluiu que as acusações eram ‘manobras policiais coordenadas por João de Deus’. Baseado nisso, o juiz instaurou um inquérito para apurar as denúncias.

O inquérito, no entanto, prescreveu após oito anos sem ser desenvolvido, pois os investigadores não ouviram as testemunhas. Com isso, não era possível dizer se João de Deus era inocente ou culpado.

A defesa de João de Deus nega todas as acusações e diz que o médium é inocente.