tragédia brumadinho
Brasil Justiça decide que Vale deve manter salários dos desaparecidos

Justiça decide que Vale deve manter salários dos desaparecidos

Decisão da  2ª Vara do Trabalho de Betim também define que a empresa pague custos do funeral de empregados diretos e terceirizados

Justiça determina que Vale mantenha salários dos desaparecidos

Vale terá que continuar pagando salários dos desaparecidos

Vale terá que continuar pagando salários dos desaparecidos

Reuters

A 2ª Vara do Trabalho de Betim decidiu liminarmente em Ação Civil Pública, ajuíza pelo Ministério Público do Trabalho, que a Vale S.A. mantenha o pagamento dos salários aos familiares de trabalhadores desaparecidos (diretos ou terceirizados), até que seja esclarecida a situação em que se encontram.

Em relação aos terceirizados, a Vale deverá solicitar os dados pessoais e bancários às empregadoras, comprovando nos autos a solicitação no prazo máximo de cinco dias, sob pena de multa diária. A decisão é da juíza Renata Lopes Vale.

Exclusivo: relatório atestou risco baixo para barragem em 2018

Também ficou definido que a empresa deve arcar com as despesas de funeral, translado de corpo e sepultamento de todos os empregados.

A magistrada ainda determinou o bloqueio de R$ 800 milhões da empresa para assegurar indenizações trabalhistas dos empregados, além de ter dado o prazo de 10 dias úteis para que a empresa apresente uma série de documentos sobre gerenciamento de risco e plano de evacuação da mina.

Em nota, a Vale S.A. respondeu que "entende que tais bloqueios não são necessários, uma vez que não se eximirá de suas obrigações de atendimento emergencial da população e reparações devidas".

Maior tragédia da mineração matou 1.600 na China