Brasil Justiça do Ceará manda soltar policiais presos durante greve

Justiça do Ceará manda soltar policiais presos durante greve

Decisão do juiz Roberto Soares Bulcão Coutinho ocorre um dia após acordo encerrar as paralisações no Estado

  • Brasil | Do R7

Motim dos PMs foi encerrado neste domingo (1º)

Motim dos PMs foi encerrado neste domingo (1º)

João Dijorge/Photopress/Estadão Conteúdo – 19.02.2020

A Justiça do Estado do Ceará determinou nesta segunda-feira (2) a liberdade dos policiais militares presos pela promoção do motim encerrado na noite deste domingo (1º).

"Expeçam-se os alvarás de soltura, se por outros motivos não estiverem presos, contendo a condição legal, servindo como compromisso", escreveu o juiz Roberto Soares Bulcão Coutinho ao revogar as prisões preventivas dos militares.

A decisão de Coutinho leva também em conta o acordo firmado entre lideranças policiais e uma comissão formada pelos poderes estatais, com participação do Exército e da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) que colocou um ponto final na paralisação.

Leia mais: Moro diz que paralisação de policiais do Ceará é ilegal

"Essa atual situação exige uma nova visão da questão, pois a conversão antes decretada teve como fundamento a garantia da ordem pública e a necessidade de manter hierarquia e disciplina", avaliou o juiz.

Os protestos dos militares tiveram início no meio de fevereiro, quando os policiais apresentaram reivindicações como aumento salarial. O caso ganhou impacto nacional quando o senador Cid Gomes (PDT-CE) foi baleado ao tentar entrar em um batalhão da PM onde havia policiais amotinados, na cidade de Sobral. Cid dirigia uma retroescavadeira.

O número de mortes no estado disparou no período em que os policiais deixaram de trabalhar, levando o governo federal a intervir. Por meio de uma operação de Garantia da Lei e da Ordem, mais de 2.500 passaram a patrulhar Fortaleza.

Últimas