Justiça do RJ autoriza prisão da mulher de Fabrício Queiroz

Márcia Oliveira de Aguiar também foi assessora parlamentar de Flávio Bolsonaro quando ele era deputado na Alerj

Fabrício Queiroz foi preso nesta quinta. Esposa ainda não foi localizada

Fabrício Queiroz foi preso nesta quinta. Esposa ainda não foi localizada

Reprodução / Record TV

A Justiça do Rio de Janeiro autorizou a prisão Márcia Oliveira de Aguiar, mulher de Fabrício Queiroz, preso nesta quinta-feira (18) em Atibaia. Ambos foram assessores parlamentares de Flávio Bolsonaro quando ele era deputado na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro). 

O mandado foi expedido pelo juiz Flávio Itabaiana Nicolau, da 27ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e está sendo cumprido pela Polícia Federal e MPRJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) na operação que apura esquema de "rachadinha" no gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj.

Procurada em dois endereços, Márcia ainda não foi localizada.

"Rachadinha"

Rachadinha é o nome dado a uma manobra em que o funcionário devolve parte do salário ao parlamentar. Segundo o MPRJ, servidores da Alerj devolveriam parte dos vencimentos a Flávio enquanto ele era deputado estadual do Rio de Janeiro.

O R7 tenta contato com a defesa de Flávio Bolsonaro, mas ainda não obteve resposta.

A Operação Anjo, deflagrada no início da manhã desta quinta-feira, cumpre ainda outras medidas cautelares autorizadas pela Justiça relacionadas ao inquérito. As medidas incluem busca e apreensão, afastamento da função pública, o comparecimento mensal em Juízo e a proibição de contato com testemunhas.

De acordo com o MPRJ, outros investigados são o servidor da Alerj Matheus Azeredo Coutinho; os ex-funcionários da casa legislativa Luiza Paes Souza e Alessandra Esteve Marins; e o advogado Luis Gustavo Botto Maia.