Brasil Lava Jato cumpre mandado de prisão contra Michel Temer

Lava Jato cumpre mandado de prisão contra Michel Temer

Ex-presidente foi preso na manhã desta quinta em SP e seguiu com policiais federais ao aeroporto de Guarulhos para ser levado ao Rio

Lava Jato cumpre mandado de prisão contra o ex-presidente Michel Temer

O ex-presidente Temer foi alvo de mandado de prisão expedido pela Justiça do RJ

O ex-presidente Temer foi alvo de mandado de prisão expedido pela Justiça do RJ

Adriano Machado/Reuters - 17.10.2018

 A força-tarefa da Lava Jato prendeu o ex-presidente Michel Temer na manhã desta quinta-feira (21) em São Paulo, cumprindo mandado expedido pela Justiça Federal do Rio de Janeiro. 

Batizada de operação Descontaminação, as autoridades cumprem oito mandados de prisão preventiva, dois de prisão temporária e 26 de busca e apreensão nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Distrito Federal. 

A investigação utiliza elementos recolhidos nas Operações Radioatividade, Pripyat e Irmandade deflagradas pela PF. 

Três carros descaracterizados deixaram a casa do presidente, no Alto de Pinheiros. 

O ex-presidente foi levado para os policiais federais ao aeroporto de Guarulhos, onde embarca para o Rio de Janeiro. 

Além de Temer, também foi preso Moreira Franco, ex-ministro de Minas e Energia no governo Temer. Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da Justiça Federal do Rio de Janeiro. 

A operação de hoje é decorrente da Operação Radioatividade. A investigação tem como base as delações do empresário José Antunes Sobrinho, ligado à Engevix, e do corretor Lucio Funaro.

De acordo com a Polícia Federal, Sobrinho fala em seu acordo sobre “pagamentos indevidos que somam R$ 1,1 milhão, em 2014, solicitados por João Baptista Lima Filho e pelo ministro Moreira Franco, com anuência do Excelentíssimo Senhor Presidente da República Michel Temer, no contexto do contrato da AF Consult Brasil com a Eletronuclear”.

Os valores, segundo o delator, teriam sido depositados em conta corrente em nome da empresa PDA Projeto, que tem o coronel Lima, amigo de Temer, e sua esposa, Maria Rita Fratezi, por meio de um contrato simulado com a Alumi Publicidade.

O advogado Brian Prado, que representa Temer, confirmou a prisão, mas disse que não teve acesso à decisão até o momento. 

Já Daniel Gerber, advogado de Eliseu Padilha, nega que seu cliente seja alvo da operação e que "duvida" de que o nome dele esteja nas investigações. 

*Com informações do Estadão Conteúdo.