Brasil 'Logo, o Brasil é 5º ou 6º entre os que mais vacinam', diz Mourão

'Logo, o Brasil é 5º ou 6º entre os que mais vacinam', diz Mourão

Vice-presidente minimizou falhas para compra de imunizantes e elogiou o 'competente' ministro da Saúde, Eduardo Pazuello

  • Brasil | Do R7

Mourão defendeu atuação de Ernesto Araújo

Mourão defendeu atuação de Ernesto Araújo

Antonio Lacerda/EFE - 15.07.2020

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, minimizou nesta segunda-feira (25) a dificuldade que o governo federal enfrenta para comprar imunizantes. "Esse problema não é só do Brasil, é do mundo inteiro. Vocês vão ver que brevemente vamos estar ali na quinta ou sexta posição em número de vacinados."

Ele citou que a França, apesar de ter iniciado a campanha de vacinação em dezembro, contava com pouco mais de 700 mil imunizados apenas.

Na opinião de Mourão, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, fez o possível para trazer os imunizantes ao terrritório nacional. 

"Ele, desde o primeiro momento,  tomou todas as providências necessárias. Acionou a nossa Embaixada lá na Índia., mas a situação das vacinas é complicada. A união europeia tá preocupada porque está sem vacina. Tem pouca gente que fabrica."

O vice também defendeu o trabalho do titular da pasta da Saúde, Eduardo Pazuello, e defendeu que se investigue, como determinou o procurador-geral da República, Augusto Aras, a situação trágica vivida pelo Amazonas, com o sistema de saúde em colapso em meio à pandemia de covid-19.

"A melhor linha de ação é que chegue a conclusão do que aconteceu.  Sei que o ministro Pazuello tem feito um trabalho meticuloso e de forma honesta e competente, então que se investigue e se chegue à conclusão do que aconteceu na realidade", afirmou.

O general da reserva do Exército acredita que a solução para o Brasil é manter os contratos com os imunizantes da AstraZeneca e da Sinovac (CoronaVac) e buscar novas vacinas. "Em algum momnento tem essa da Rússia que está aguardando para ser aprovada pela Anvisa {Agência Nacional de Vigilância Sanitária}, opinou.

Mourão também acha que o desgaste ocorrido com o drama do Amazonas e os problemas com a vacinação são os responsáveis pela queda de popularidade do presidente Jair Bolsonaro. 

"Assim que ficar esclarecido que o governo está fazendo o possível e o impossível para ter um fluxo contínuo [de vacinas], e também aquela questão de Manaus... no momento que isso for esclarecido, eu acho que diminui esse ruído."

Últimas