Lula chama Moro de mentiroso e diz: 'Vou atender o mandado deles'

Em ato por dona Marisa Letícia, ex-presidente afirmou que não vai "abaixar pescoço" e que sairá "de peito estufado" da prisão

Lula estava acompanhado de aliados, inclusive a ex-presidente Dilma Rousseff

Lula estava acompanhado de aliados, inclusive a ex-presidente Dilma Rousseff

Gabriela Biló/Estadão Conteúdo – 07.04.2018

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, neste sábado (7), que Sérgio Moro mentiu, mas avisou que vai cumprir a determinação da Justiça Federal, que o condenou a 12 anos e 1 mês de prisão, e se entregar à Justiça. 

— Eu vou atender o mandado deles, eu vou atender porque quero fazer a transferência de responsabilidade.

Lula será levado para a carceragem da PF (Polícia Federal) em Curitiba em um avião da FAB.

Lula chora e grava áudio para vídeo que será divulgado após prisão

Lula discursou em um ato em homenagem à ex-primeira-dama Marisa Letícia, que completaria 68 anos de idade hoje, em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo.

Ao término da sua fala e depois de ser carregado pela multidão, Lula, muito emocionado, passou mal. Logo depois de ser atendido por um médico voltou a acenar para a multidão da janela do sindicato. O discurso durou 55 minutos.

Manifestantes a favor de Lula começam a se reunir em frente à PF

No discurso, disse que, se dependesse da vontade dele, não iria se entregar à Justiça, mas afirmou que atendeu ao pedido dos seus companheiros de partido e aliados de militância e decidiu se entregar.

— Quero chegar para o delegado e falar: "Estou à sua disposição". A história vai provar que o delegado que me acusou, o juiz que me condenou e o MP que foi leviano comigo... Não tenho lugar no meu coração para todo mundo, mas uma coisa que eu aprendi é ter uma relação com o povo.

Lula disse ainda que o povo vai "perceber que eu sairei mais forte, mais verdadeiro e inocente porque eu quero provar que eles cometeram crime, um crime político, de perseguir um homem, que tem 50 anos de carreira política".

Ao final da fala, o ex-presidente foi carregado nos braços por seus apoiadores, recebeu flores brancas e falou que "não vai baixar o pescoço". Ao mesmo tempo, a multidão, que o acompanhava, cantava a canção Apesar de Você, de Chico Buarque. 

— Um grande abraço a todos! Pode ficar certo que esse pescoço aqui não abaixa, [...] e não vai baixar. Vou sair de peito estufado de lá [da carceragem da PF, onde ficará preso], porque vou provar a minha inocência. 

Dois carros, uma Pajero e Corolla estão estacionados nos sub-solo do sindicato a possivelmente para levar Lula ao aeroporto de Congonhas. 

Lula diz que é a favor da Lava Jato e que bandido seja preso 

"Moro mentiroso"

O principal alvo do petista, porém, foi o juiz federal Sérgio Moro, a quem chamou de mentiroso.

— Sou o único ser-humano que sou processado por um apartamento que não é meu. E eles sabem que O Globo mentiu que é meu. O MP fez a acusação e mentiu que era meu. Eu pensei que o Moro que ia resolver, mas mentiu quanto disse que [o apartamento] era meu e me condenou a 9 anos de cadeia. É por isso que sou um cidadão indignado, porque já fiz muita coisa nos meus 72 anos. Eu não posso passar à sociedade a ideia de que eu sou um ladrão.

Lula disse não ter medo das autoridades brasileiras: "Eu até já falei que gostaria de fazer um debate com o Moro sobre a denúncia que ele fez contra mim, gostaria que ele me mostrasse alguma coisa de prova. Eu já desafiei os juízes do TRF 4, que a gente fosse num debate para provar qual é o crime que eu cometi nesse país".

— O que eles não se dão conta é que quanto mais eles me atacam, mais cresce a minha relação com o povo brasileiro.

Lula candidato

O ex-presidente disse ainda que é um "sonho de consumo" do MPF (Ministério Público Federal), da Justiça e da imprensa tirá-lo da disputa ao Palácio do Planalto em 2018.

— É que o golpe não terminou com a Dilma, só vai se concluir quando puderem garantir que o lula não poderá ser candidato a Presidência da República em 2018. Eles não querem o Lula de volta, porque pobrem, na cabeça deles, não pode ter direito, não pode andar de avião, não pode fazer universidade... Pobre nasceu para viver e ter coisa de segunda categoria.

Lula estava ao lado da presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), da ex-presidente Dilma Rousseff, do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), do ex-ministro Celso Amorim, da pré-candidata à Presidência pelo PCdoB, Manuela D’Ávila, do pré-candidato do PSOL à Presidência, Guilherme Boulos, do governador do Piauí, Wellington Dias, do deputado Ivan Valente (PSOL) e de outros políticos e militantes do PT.