Brasil Lula decide não encontrar familiares após enterro de irmão

Lula decide não encontrar familiares após enterro de irmão

Ex-presidente havia pedido à Justiça para ir ao velório de Vavá, que morreu aos 79 anos vítima de um câncer de pulmão

Irmão Lula

Vavá morreu aos 79 anos vítima de um câncer de pulmão

Vavá morreu aos 79 anos vítima de um câncer de pulmão

Reprodução/ Twitter/ Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu não deixar a prisão para encontrar familiares nesta quarta-feira (30), depois de a autorização do STF (Supremo Tribunal Federal) para sua saída ter sido publicada pouco antes do horário marcado para o enterro de seu irmão Vavá, morto na última terça-feira, disse uma fonte do PT.

A decisão do presidente do STF, Dias Toffoli, autorizou que Lula fosse a São Bernando do Campo, em São Paulo, encontrar a família em uma unidade militar, e, se fosse o caso, que o corpo de Vavá fosse levado ao local.

No entanto, a autorização foi dada cerca de 20 minutos antes do horário marcado para o enterro, às 13h, e não haveria tempo de o ex-presidente chegar ao sepultamente antes que ele ocorresse — — Vavá foi enterrado por volta das 13h20.

A defesa de Lula enviou um pedido às 15h50 de terça-feira (29) para que o ex-presidente pudesse ir ao velório. O pedido foi negado pela Vara de Execuções Penais de Curitiba, pela juíza Carolina Lebbos, e pelo desembargador do TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) Leandro Paulsen.

Em nota divulgada no fim da tarde, o PT diz que "a decisão do Supremo Tribunal Federal, reconhecendo o direito legal de Lula, chegou tarde demais para que ele acompanhasse o sepultamento do irmão mais velho". O partido do ex-presidente ainda "a perseguição ao ex-presidente Lula não tem fim e neste episódio rebaixou-se ao nível da crueldade e da vingança".

O partido ainda atribui à Polícia Federal e ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, a decisão de não realizar o transporte do ex-presidente de Curitiba até São Bernardo do Campo.