Lula não deve se entregar antes de ato em homenagem a Marisa Letícia

Militância do PT vai realizar uma celebração na manhã de sábado (6) pela memória da ex-primeira-dama, que completaria 67 anos  

Marisa Letícia morreu em 2017, vítima de um AVC

Marisa Letícia morreu em 2017, vítima de um AVC

Heinrich Aikawa/ Instituto Lula

O ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva decidiu ficar no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, na grande São Paulo, pelo menos até a missa em homenagem à memória da ex-primeira-dama Marísa Letícia, marcada para a manhã deste sábado (7). 

A cerimônia está prevista para acontecer no terceiro andar do prédio do sindicato, às 9h30. Se estivesse viva, ela completaria 67 anos neste sábado. 

O que aconteceria após a missa, no entanto, ainda é dúvida. Alguns petistas afirmam que Lula se entrega após a cerimônia, desde que a Polícia Federal fosse buscá-lo sindicato. Ainda segundo a fonte ouvida pelo R7, os militantes garantiriam as condições que a chegada da polícia. 

Mas há também quem diga que a prisão de Lula só deve acontecer na próxima segunda-feira. 

A realização da missa foi confirmada pela presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann. Nas redes sociais, ela falou sobre a celebração. 

Marisa Letícia morreu em 3 de fevereiro de 2017, vítima de AVC (Acidente Vascular Cerebral), que sofreu em 24 de janeiro. Ela foi casada com Lula por 43 anos e acompanhou toda a trajetória política do petista.