CPI da Covid

Brasil 'Mandetta não precisava ter atacado Guedes', diz Mourão

'Mandetta não precisava ter atacado Guedes', diz Mourão

Vice-presidente citou fala do ex-ministro da Saúde à CPI da Covid e minimizou suposto alinhamento de senadores para fazer frente à oposição

  • Brasil | Do R7

Mourão durante entrevista coletiva em Brasília

Mourão durante entrevista coletiva em Brasília

Joédson Alves/EFE - 15.03.2021

Ao comentar o depoimento do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta na CPI da Covid, nesta terça-feira (4), o vice-presidente, Hamilton Mourão, criticou hoje (5) a fala do médico sobre o colega da Economia, Paulo Guedes. Mandetta afirmou que o ministro "não compreendia o tamanho" da crise sanitária.

Em resposta à senadora Leila Barros (PSB-DF), que oquestionou sobre descompasso entre Saúde e Economia na pandemia, Mandetta afirmou que a equipe econômica ignorava alertas e "não compreendia o tamanho" da crise sanitária.

Em outro momento, Mandetta confirmou para o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) que Guedes "nunca se interessou" em procurar o Ministério da Saúde para ouvir explicações e dados sobre a pandemia.

"O ministro Mandetta fez ali um depoimento longo, sete horas, né? Nem interrogatório de bandido leva sete horas", disse o vice-presidente, rindo na sequência. "É um troço muito louco, não sei como é que ele aguentou. A única coisa que eu acho é que ele não precisava ter atacado o ministro Paulo Guedes, é uma questão pessoal entre os dois que ele levou lá pra dentro ontem."

Em resposta ao senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), Mandetta disse que Guedes "nunca se interessou" em procurar o Ministério da Saúde para ouvir explicações e dados sobre a pandemia.

Antes, em resposta à senadora Leila Barros (PSB-DF), Mandetta disse que a equipe econômica ignorava alertas e "não compreendia o tamanho" da crise sanitária.

Em razão das declarações de Mandetta, o vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), apresentou requerimento convocando para depoimento o ministro Paulo Guedes. O  requerimento precisa ser votado e aprovado pela comissão.

Na manhã desta quarta, os 11 senadores que compõe a CPI da Covid ouvem o sucessor de Mandetta, ex-ministro da Saúde Nelson Teich, que ficou menos de um mês no cargo. Assista ao vivo.

Sobre a movimentação de senadores da situação para supostamente alinhar o discurso frente à oposição na CPI da pandemia, Mourão se esquivou. "Eu não estou acompanhando isso daí. Esses assuntos não passam por mim, agora, se está ocorrendo, é normal. Completamente normal."

Últimas