Manifestantes disparam fogos de artifício contra prédio do Supremo

Pessoas também invadiram, durante a tarde, cúpula do Congresso Nacional após um acampamento ter sido desmontado na Esplanada dos Ministérios

Fogos de artifício explodem perto do prédio do STF

Fogos de artifício explodem perto do prédio do STF

Reprodução/Twitter - 13.06.20

Um grupo de manifestantes retirados de um acampamento montado na Esplanada dos Ministérios causou tumulto e aglomeração, na noite deste sábado (13), enquanto efetuavam disparos de fogos de artifício em direção ao prédio do STF (Supremo Tribunal Federal), na praça dos Três Poderes, em Brasília (DF).

Os manifestantes divulgaram um vídeo pelas redes sociais em que se escuta a voz de um homem fazendo ameaças à mais alta Corte do país e, nominalmente, aos ministros Alexandre de Moraes, Gilmar Mendes, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski e Antonio Dias Toffoli. Palavras de ordem são ouvidas ao mesmo tempo em que as imagens mostram disparos de rojões que explodem bem próximo ao edifício do Supremo.

Mais cedo, na tarde deste sábado (13), integrantes do denominado "300 do Brasil", já haviam invadido a cúpula do Congresso Nacional, em reação à operação que desmontou as barracas de camping que formavam o acampamento. Seguranças tiveram de intervir para tirar o grupo do local.

 

Reação do governador do DF

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), decretou o fechamento da Esplanada dos Ministérios durante todo o domingo (14). No texto, Ibaneis cita "ameaças declaradas por alguns dos manifestantes" e destaca necessidade de "contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública".

O texto prevê que manifestações poderão ser realizadas, "desde que comunicada com antecedência e devidamente autorizada pelo Secretário de Segurança do Distrito Federal".

O governo do Distrito Federal, no entanto, não informa se há algum protesto marcado para este domingo com autorização para ocorrer.

A medida proíbe trânsito de veículos e determina acesso aos prédios apenas por autoridades, da meia-noite até as 23h59 de domingo.

O decreto ocorre no mesmo dia em que a Secretaria de Segurança Pública e o DF Legal, órgão de fiscalização na capital, realizaram desmobilização do acampamento de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro na Esplanada. Os grupos estavam instalados no local deste 1º de maio.

Nos últimos domingos, a Esplanada foi palco de manifestações e carreatas por apoiadores e contrários ao governo Jair Bolsonaro. O presidente compareceu em alguns desses atos e já chegou a até sobrevoar manifestações de helicóptero.