Brasil Manifestantes fazem protestos contra Bolsonaro e por vacinas

Manifestantes fazem protestos contra Bolsonaro e por vacinas

Atos ocorrem em cidades brasileiras para dar continuidade a movimento que levou milhares às ruas dia 29 de maio

  • Brasil | Do R7

Manifestantes protestam na região da Avenida Paulista, em São Paulo, contra o governo federal

Manifestantes protestam na região da Avenida Paulista, em São Paulo, contra o governo federal

Ronaldo Silva/Futura Press/ESTADÃO CONTEÚDO FUP20210619767 - 19/06/2021

Pelo menos 19 cidades brasileiras, entre elas, capitais, registram neste sábado (19) manifestações contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e a favor da vacinação. Os atos foram organizados para dar continuidade ao movimento que levou milhares às ruas no dia 29 de maio.

Em São Paulo (SP), os protestos começaram na tarde deste sábado e os manifestantes se organizaram no vão livre do Masp, na região da Avenida Paulista. Ciclistas se juntaram ao movimento, com faixas e cartazes. Os manifestantes saíram às ruas da capital paulista para mais um ato pela saída do presidente, pelas vacinas, por investimentos no SUS e na educação e pelo fim da violência policial.

Entre as bandeiras erguidas por manifestantes, estão pedidos de impeachment de Bolsonaro, extensão do auxílio emergencial de R$ 600, vacinação em massa contra a covid-19 e críticas à política ambiental da administração atual.

No Rio de Janeiro, manifestantes se reúnem no centro do Rio. A concentração começou por volta das 10h no Monumento Zumbi dos Palmares, na avenida Presidente Vargas, principal via da região central da cidade.

A pista central da avenida Presidente Vargas foi parcialmente interditada para a caminhada dos manifestantes em direção à igreja da Candelária, marcha com início previsto para 11h15. Guardas municipais e policiais militares acompanham o protesto e orientam o trânsito na região.

Uma faixa culpa o presidente pelas 500 mil mortes da pandemia no Brasil, triste marca que pode ser atingida ainda hoje. Outros manifestantes exibem cartazes demandando a vacinação em massa da população, além de reivindicarem mais educação e saúde.

Em Brasília, manifestantes ocupam o gramado central da Esplanada dos Ministérios. Com o Congresso isolado pelo policiamento, os manifestantes organizaram uma caminhada pela Esplanada até se posicionarem diante de um carro de som, estacionado no local mais próximo possível do Parlamento que funciona como uma espécie de palanque improvisado para os discursos.

Em Recife (PE), também há movimentação de manifestantes contra Bolsonaro. O protesto acontece na Praça do Derby seguida de caminhada até a avenida Guararapes no centro da capital pernambucana.

Em Campina Grande, na Paraíba, pessoas com bandeiras com dizeres "Não tire a máscara, tire Bolsonaro" protestaram nas praças da cidade. O município paraibense também lembrou os 500 mil mortos pela covid-19.

Em São Luís, no Maranhão, manifestantes se reuniram na região central da cidade. Com faixas e cartazes com frase "Fora Bolsonaro, presidente genocida", pessoas pediram a renúncia de Bolsonaro e teceram críticas ao seu governo, pedindo celeridade nas medidas de prevenção contra a covid-19.

"O País está passando por um momento difícil e o desemprego aumentando. Somos contra as reformas que esse governo está implantando no Brasil e a favor de uma política mais séria em relação à vacinação contra a covid-19. E, hoje, estamos nas ruas também para reivindicar ao presidente que retorne com o auxílio emergencial de R$ 600", afirmou o servidor federal Raimundo Pereira.

Em Aracaju, capital de Sergipe, mulheres posaram em frente a um painel pintado com o rosto de Marielle Franco, morta em março de 2018 com o motorista Anderson Gomes, para protestar contra Jair Bolsonaro.

Cidades do interior de São Paulo também registram protestos contra Bolsonaro. Em Franca, manifestantes erguem faixas e bandeiras com dizeres contrário ao presidente. Em Sorocaba, também no interior paulista, manifestantes protestaram de máscaras e roupas de proteção contra a covid-19. Manifestantes do município de Campinas também se organizaram para protestar. Em Ribeirão Preto, protesto pede a saída do presidente, na esplanada do Teatro Pedro II. Limeira também uniu-se às manifestações deste sábado, com muitas pessoas portando faixas em bandeiras, dentro de seus carros, pelas ruas da cidade.

Em Goiânia (GO), manifestantes também se reuniram no centro da cidade contra o governo federal e por vacinas para toda a população. A concentração para o ato começou às 9h na Praça Cívica, onde fica o centro administrativo do governo estadual. Os manifestantes saíram em caminhada pela avenida Araguaia, Rua 4 e Avenida Goiás.

O protesto foi encerrado por volta das 12h na Praça do Trabalhador, em frente à antiga Estação Ferroviária. O trajeto percorrido foi de cerca de 2 km. Os manifestantes usavam máscaras, mas não havia distanciamento.

A manifestação foi organizada por mais de 100 entidades e contou com o apoio de três carros de som. Durante o percurso, foram exibidos cartazes e palavras de ordem contra a condução da pandemia por Bolsonaro. Em menor quantidade, também houve repúdio à alta de preços de alimentos e combustível.

Entre as palavras de ordem, os manifestantes entoaram "Fora Bolsonaro Genocida" e "Vacina no braço e comida no prato". Dois manifestantes vestiam fantasias de morte com faixa presidencial. Outro grupo levou um boneco de terno e faixa presidencial, pendurado pelas pernas. A organização da manifestação estima a presença de 10 mil pessoas no ato.

Nas organizações pelas redes sociais, os manifestantes foram a favor de usar máscaras de proteção, levar álcool em gel e manter distanciamento social durante o ato. Os organizadores estão distribuindo máscaras para os participantes do ato. 

Em Cuiabá (MT), manifestantes saíram pelas ruas usando máscaras e levando faixas em protesto contra o governo. Muitos lembraram a triste marca de quase 500 mil vítimas da covid-19 no país.

Em Pelotas (RS), populares, lideranças sociais, integrantes de movimentos populares e estudantis organizam uma nova manifestação contra o presidente Bolsonaro. Nem a chuva impediu os manifestantes de pedir pela saída do líder político e por uma gestão mais eficiente na pandemia. 

No Paraná, cidadãos saíram às ruas na capital, Curitiba, pedindo a saída do presidente e vacinas para toda a população.

Manifestantes também ocuparam as ruas de Vitória (ES), unindo-se aos protestos que ocorrem em todo o país neste sábado.

Na Bahia, os protestos ocorreram em Salvador durante a tarde. Manifestantes protestavam contra o governo carregando cartazes e faixas. Seguiram em caminhada do bairro do Campo Grande até o Farol da Barra.

A cidade de Natal, no Rio Grande do Norte, juntou-se ao movimento de outros municípios brasileiros para manifestar-se contra o governo Bolsonaro.

Últimas