Marco Aurélio mantém MPs para combater efeitos do coronavírus

Ministro do STF negou liminar para suspender medida com regras trabalhistas e restrições de pessoas na pandemia

O ministro Marco Aurélio de Mello

O ministro Marco Aurélio de Mello

Nelson Jr./SCO/STF - 25/09/201

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio negou nesta quarta-feria (25) pedido da Rede Sustentabilidade para suspender dispositivos das medidas provisórias (MPs) 926/2020 e 927/2020, editadas pelo presidente Jair Bolsonaro, em meio à situação de calamidade pública provocada pela pandemia do novo coronavírus.

A MP 926 estabeleceu que decisões estaduais que determinem a restrição de locomoção intermunicipal devem ser condicionadas à fundamentação técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A MP 927 normatizou medidas trabalhistas durante o período de enfrentamento da doença.

Na decisão, o ministro Marco Aurélio entendeu que as medidas provisórias ainda serão analisadas pelo Congresso e não há motivos para intervenção da Justiça neste momento.