Brasil Marcos Rogério (PDT-RO) é o novo relator do processo contra Eduardo Cunha

Marcos Rogério (PDT-RO) é o novo relator do processo contra Eduardo Cunha

Ele substituirá Fausto Pinato (PRB- SP) no Conselho de Ética da Câmara

  • Brasil | Do R7

Marcos Rogério foi escolhido a partir de uma lista tríplice junatmente com os deputados Léo de Brito e Sérgio Brito

Marcos Rogério foi escolhido a partir de uma lista tríplice junatmente com os deputados Léo de Brito e Sérgio Brito

Lucio Bernardo Junior/09.12.2015/Câmara dos Deputados

O deputado federal, Marcos Rogério (PDT-RO), foi escolhido pelo presidente do Conselho de Ética da Câmara, José Carlos Araújo (PSD-BA), para substituir Fausto Pinato (PRB- SP) na relatoria do processo contra Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por quebra de decoro parlamentar.

Rogério avalia que existe muita pressão externa no Conselho, mas defende que o colegiado haja de forma isenta, respeitando os dispositivos legais do processo.

— Um caso como esse não tem como não ter pressão. Você está tratando do Presidente da Câmara. Obviamente que ele não está sendo julgado como Presidente ele vai ser julgado como deputado.

O novo relator foi escolhido a partir de uma lista tríplice juntamente com os deputados Léo de Brito (PT-AC) e Sérgio Brito (PSD-BA).

Mais cedo, o colegiado adiou pela sexta vez a análise do parecer do processo que pode terminar com a cassação do presidente da Casa, Eduardo Cunha.

A decisão de prorrogar a discussão sobre o futuro de Cunha veio após uma manobra comandada por um aliado dele, o deputado Waldir Maranhão (PP-MA), que é o 1º vice-presidente da Câmara dos Deputados.

A pedido do deputado Manoel Junior (PMDB-PB), que faz parte do Conselho de Ética, Maranhão determinou o afastamento do então relator do processo, deputado Fausto Pinato (PRB-SP).

Sessão marcada por bate boca

A substituição provocou uma confusão generalizada no Conselho de Ética, com troca de acusações entre deputados favoráveis e contrários à cassação de Cunha. 

O deputado Nelson Marchezan Junior (PSDB-RS) disse que a Mesa Diretora da Câmara estava assistindo à transmissão ao vivo do Conselho de Ética e estava acompanhando passo a passo o que o colegiado estava decidindo.

O deputado Júlio Delgado (PSB-MG), por sua vez, disse que os aliados de Cunha estão fazendo uma chicana, termo jurídico usado para definir o atraso proposital de processos, e que o Conselho de Ética está sendo transformado em um “circo”.

— O Conselho não pode passar por essa humilhação. Não deve passar por essa humilhação.

Araújo, que preside o Conselho de Ética, decidiu então suspender a decisão e fazer outro sorteio do relator, excluindo o bloco do PMDB — formado também por PP/PTB/DEM/PRB/SD/PSC/PHS/PTN/PMN/PSDC/PEN E PRTB.

— Depois do que nós assistimos aqui eu não posso tomar outra decisão que não seja essa. Eu não posso colocar em risco aquilo que o povo brasileiro espera de nós. Eu tenho que fazer aquilo que o povo quer. Eu não posso passar por cima de uma decisão da mesa. O que estão fazendo conosco é um absurdo.

Assim como Eduardo Cunha, Waldir Maranhão consta da lista de políticos investigados pela Operação Lava Jato, feita pelo PGR (Procurador-Geral da República), Rodrigo Janot, e enviada ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Últimas