Coronavírus

Brasil ‘Meu compromisso não é com reeleição’, afirma Bolsonaro

‘Meu compromisso não é com reeleição’, afirma Bolsonaro

Presidente alertou para a chegada do “caos” ao criticar as medidas de isolamento social adotadas pelos governadores dos Estados

  • Brasil | Do R7

"Vamos ter que reagir", afirma Bolsonaro

"Vamos ter que reagir", afirma Bolsonaro

Alan Santos/PR - 10.03.2021

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (19), ao comentar as medidas de isolamento social para conter a pandemia do novo coronavírus, que não age pensando nas Eleições de 2022, quando poderá disputar a permanência no Planalto. “Eu nunca admito lockdown. Meu compromisso não é com reeleição, é com o povo brasileiro”, garantiu.

O presidente disse que conversou com moradores do Distrito Federal que relataram o drama dos vizinhos desde que o governador Ibaneis Rocha optou pela restrição total, com o funcionamento apenas de serviços essenciais.

"É Deus, mais nada. Não tem o que comer, não tem emprego. É uma pressão enorme por parte de prefeitos, aqui por parte do governador do DF, esses caras que nunca passaram necessidade na vida. Só sentem o cheiro do povo por ocasião das eleições e olhe lá. E agora ficam ditando regras de 'fique em casa'".

Leia mais: Bolsonaro vai ao Supremo contra medidas de restrição no DF, BA e RS

Bolsonaro recordou ainda que no início do isolamento Rocha postou uma foto realizando um churrasco para defender o isolamento. “O povo não tem nem pé de galinha para comer mais. O caos vem aí. A fome vai tirar o pessoal de casa e vamos ter problemas que nunca imaginamos”, apontou.Para o presidente, as medidas instauradas por decreto são inconstitucionais, porque retiram o direito de ir e vir das pessoas".

"Vamos ter que reagir. [...] Morre gente em todos os países do mundo. Eu falo desde o começo que lamento as mortes, mas temos que enfrentar esse problema. Lá atrás o objetivo do lockdown não era achatar a curva? Estamos há um ano achatando a curva. E pra quê? Para dar tempo para os hospitais se prepararem com hospitais e leitos de UTI. Eu dei dezenas de bilhões de reais. Aonde é que está esse dinheiro”, questionou. 

Últimas