Brasil Ministério distribui 6,4 mi de doses da Pfizer, Oxford e CoronaVac

Ministério distribui 6,4 mi de doses da Pfizer, Oxford e CoronaVac

Maior remessa é das vacinas da Oxford, com 4,7 milhões. CoronaVac será repassada para estados aplicarem a segunda dose

Doses da Pfizer serão destinadas a gestantes, pessoas com deficiência ou comorbidades

Doses da Pfizer serão destinadas a gestantes, pessoas com deficiência ou comorbidades

Governo do Estado de São Paulo - 10.05.2021

O Ministério da Saúde começa a distribuir, nesta terça-feira (18), um novo lote com 6,4 milhões de doses das vacinas da AstraZeneca/Oxford (4,7 milhões), produzidas pela Fiocruz; da CoronaVac (1,08 milhão), do Instituto Butantan, e da Pfizer/BioNTech (647 mil).

Segundo o ministério, o lote de CoronaVac será enviado a 12 estados que pediram o produto do Instituto Butantan a fim de aplicar a segunda dose da vacina em pessoas que já receberam a primeira dose e precisam concluir o ciclo vacinal.

A BioNTech, da Pfizer, será destinada para aplicação da primeira dose em quem tem uma deficiência permanente e pessoas com comorbidades - incluindo gestantes e puérperas (mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias) comórbidas, que também podem receber a CoronaVac.

Segundo recomendações dos fabricantes, a segunda dose da CoronaVac deve ser aplicada em um espaço de quatro semanas após a pessoa ter recebido a primeira dose. A AstraZeneca/Oxford e a BioNTech, em 12 semanas. O Ministério da Saúde orienta a população a tomar a segunda dose da vacina mesmo após estes prazos.

Segundo a pasta, mais de 89,4 milhões de doses de imunizantes já foram distribuídas para todo o país, e mais de 52,7 milhões delas já tinham sido aplicadas até o domingo (16).

Últimas