Novo Coronavírus

Brasil Ministério Público do DF apura se furadores de fila foram vacinados

Ministério Público do DF apura se furadores de fila foram vacinados

Pessoas que não estão nos grupos prioritários da primeira fase teriam sido imunizadas, segundo denúncia que chegou ao órgão

  • Brasil | Do R7

Pessoas que não seriam vacinadas teriam furado a fila  no Distrito Federal

Pessoas que não seriam vacinadas teriam furado a fila no Distrito Federal

Adriano Machado/Reuters

O Ministério Público do Distrito Federal pediu à Secretaria de Saúde local que ela esclareça se há pessoas que não integram os grupos prioritários e que teriam recebido doses do imunizante CoronaVac.

Leia mais; Saiba tudo sobre a pandemia de covid-19

O Ministério Público recebeu a denúncia de que isso estaria ocorrendo na quarta-feira (20) e deu 48 horas para a secretaria se manifestar.

"O DF recebeu pouco mais de 106 mil doses, que são destinadas, exclusivamente, num primeiro momento, para aqueles que atendem direto nos hospitais pacientes infectados com o coronavírus. Chegou a nós uma denúncia de que outras pessoas estariam sendo vacinadas também. Nós requisitamos que a secretaria nos informe, imediatamente, quais são essas pessoas”, afirmou o o procurador de Justiça José Eduardo Sabo, coordenador da força-tarefa de enfrentamento à covid-19.

Sabo observa que “tal situação, uma vez comprovada, além de representar violação ética inaceitável, importa em grave descumprimento da legislação, com inevitáveis consequências nas esferas administrativa e penal para os autores e beneficiários indevidos da medida”.

As primeiras doses são destinadas a médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e outras categorias profissionais ligadas à saúde que lidam diretamente com pacientes infectados pelo coronavírus. De acordo com o Plano Operacional de Vacinação Contra a Covid-19 no DF, nesta primeira etapa, também devem receber o imunizante indígenas, além de idosos, deficientes e cuidadores de instituições de acolhimento.

Últimas