Novo Coronavírus

Brasil Ministério rebate Doria e diz que SP recebeu mais de 15 milhões de EPIs

Ministério rebate Doria e diz que SP recebeu mais de 15 milhões de EPIs

Élcio Franco, secretário-executivo adjunto da pasta, também afirmou que o governo já gastou R$ 236 milhões com a habilitação de leitos de UTI no estado

  • Brasil | Do R7

Governador de São Paulo afirmou que SP "não recebeu nenhum" EPI

Governador de São Paulo afirmou que SP "não recebeu nenhum" EPI

ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO- 18/05/2020

O Ministério da Saúde rebateu o governador de São Paulo, João Doria, que nesta segunda-feira (18) afirmou que em 70 dias de pandemia do novo coronavírus no Estado que governa não recebeu respiradores nem EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) do governo federal.

Élcio Franco, secretário-executivo adjunto, afirmou durante coletiva de imprensa, no Palácio do Planalto, em Brasília, que a pasta já encaminhou mais de 15 milhões de unidades de EPIs e habilitou 1.638 leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) para atendimento de pacientes com covid-19. 

“Com relação a recursos financeiros e EPIs, 15.642.178 EPIs. Foram habilitados 1.638 leitos de UTI a mais do que já havia. Eu posso até colocar aqui quanto que isso significou em recursos financeiros. No caso do Estado de São Paulo houve um acréscimo no faturamento de recursos de R$ 236 milhões, correspondentes a esses 1.638 leitos de UTI", disse. 

Em relação ao envio de respiradores mecânicos, o representante do Ministério da Saúde contestou Doria, garantindo que o governo enviou, sim, 20 unidades e que à medida que os equipamentos forem adquiridos serão distribuídos de acordo com a necessidade de cada estado. 

Doria diz que SP não recebeu EPIs

No início da tarde, o governador de São Paulo, João Doria, afirmou que "em relação aos EPIs e 200 respiradores que pedimos não recebemos nenhum" do governo federal

"Como governador de São Paulo, estado que tem quase 46 milhões de brasileiros, que não haja seletividade política de quem pode ou não sobreviver. Tenho convicção de que isso não irá acontecer. Se for feito, São Paulo vai reagir. Se tivermos um ministro que não respeite a prioridade de São Paulo, continuarmos a não receber leitos, EPIs e respiradores, reagiremos", completou. 

Segundo o secretário de Saúde, José Henrique Germann, os itens foram solicitados ao Ministério da Saúde ainda em conversa com os ministros anteriores. Germann afirmou que solicitou cerca de 2.800 leitos de UTI para serem habilitados. No entanto, segundo ele, faltam ainda 1.200 a serem entregues. "Foi uma entrega parcial àquilo que pedimos."

Últimas