Ministro da Infraestrutura garante continuidade de obras na pandemia

Tarcísio Freitas afirmou em live nesta quinta que intervenções não foram interrompidas e que governo mantém plano de concessões

O ministro Tarcísio Freitas

O ministro Tarcísio Freitas

Marcello Casal Jr/Agência Brasil - 30.03.2020

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, afirmou nesta quinta-feira (23) que estão mantidas as obras e os preparativos para novas concessões do governo federal, mesmo diante do enfrentamento da pandemia de covid-19.

“Não paramos obras sob responsabilidade do ministério em lugar nenhum. Obras de aviação seguiram, do Dnit [Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes] continuam, temos mil operários no interior da Bahia fazendo a Fiol [Ferrovia de Integração Oeste-Leste] e entregamos 12 obras nesse período de pandemia”, disse Freitas em live realizada pelo banco BTG no Youtube.

O ministro afirmou que o programa de concessões continua, e que a expectativa é que sejam contratadas parcerias no valor de R$ 250 bilhões. Agora em maio, o governo pretende mandar ao Tribunal de Contas da União uma proposta de concessão de 22 aeroportos, por exemplo.

Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

Segundo Freitas, o ministério tem conversado com os interessados nos projetos, que estão dando sinal verde para a publicação ou solicitando um curto adiamento.

O ministro falou sobre o lançamento, na quarta-feira (22), do programa Pró-Brasil de recuperação econômica. O programa tem dois eixos: progresso e ordem.

O eixo progresso é para investimentos em obras públicas e estímulo a parcerias com o setor privado, em áreas como desenvolvimento regional, energia, logística, mineração, transporte e telecomunicações. A previsão é investir R$ 30 bilhões.

O eixo ordem, segundo Freitas, tem o objetivo de “tornar a regulação mais fácil"
“Eu estou muito otimista em relação ao futuro da economia e tenho uma convicção muito grande de que vamos sair bem dessa crise e vamos dar passos vigorosos em direção ao futuro e ao crescimento”, afirmou.