Moro afirma no Twitter que 'menos impunidade e não mais é o correto'

Comentário se dá em meio a julgamento sobre prisão em 2ª instância e fez referência a indulto a criminoso agora identificado como assassino de menina

O ministro da Justiça, Sergio Moro

O ministro da Justiça, Sergio Moro

MARIVALDO OLIVEIRA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

Em meio ao julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre prisão em segunda instância, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, afirmou no Twitter nesta sexta-feira (25) que o país precisa de “menos impunidade", e não de "mais".

Ele fez o comentário ao postar uma reportagem que afirma que o autor do assassinato de uma menina de 9 anos no Paraná em 2008 e que agora foi identificado pela polícia com uso de DNA chegou a receber indulto da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) quando cumpria penas por outros crimes. O autor do crime, Carlos Eduardo dos Santos, respondeu por diversos casos de estelionato, segundo a reportagem.

“No Brasil, criminosos seriais, por fugas, indultos, benefícios prisionais os mais diversos, não ficam presos e cometem novos crimes, no caso o assassinato de uma criança. Esse foi descoberto pelo Banco de DNA. Menos impunidade e não mais é o correto”, afirmou Moro.

Leia mais: As seis apostas do ex-presidente Lula para deixar a cadeia

O ex-juiz é autor também do chamado projeto anticrime, que tramita no Congresso.

Segunda instância

O julgamento feito pelo STF sobre três ações relativas a prisão em segunda instância foi interrompido na quinta-feira (24) com o placar de 4 votos favoráveis e 3 contrários à prisão já com a condenação em segunda instância. O julgamento deverá ser retomado em novembro

Segundo juristas ouvidos pelo R7, a expectativa é que os ministros mudem o entendimento atual e vetem a prisão já em segunda instância. Isso poderia libertar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.